CRITICA MUSICAL / MUSICAL CRITIC

Um blog de Álvaro Sílvio Teixeira

2007/11/28

40ºs

Os empresários portugueses costumam reclamar que são os impostos que condicionam a perca de competividade do país e o tornam desinteressante para os investidores. A revista Time na sua edição europeia de 26 de Novembro, na peça The Best Countries for Business, demonstra que não existe relação directa entre o grau de atracção que um país consegue face aos investidores e a quantidade de impostos que estes irão pagar. A Dinamarca, a Suécia e a Finlândia são dos países onde mais impostos se pagam em todo o mundo. Pois estes países ocupam respectivamente a 3ª, 4ª e 6ª posições no ranking mundial que escalona os países em termos da atractividade que apresentam para novos investimentos. Portugal aparece na 40ª posição imediatamente atrás da Lituânia e da Eslovénia. O país considerado como sendo o melhor para desenvolver negócios são os Estados Unidos, seguidos pela Suiça. Nas 5ª e 7ª posições encontram-se respectivamente a Alemanha e a Singapura.


Aumenta-se a idade da reforma e diminuem-se os montantes, mas...

Eduardo Catroga aposentou-se em Abril com 9693 euros, que junta regimes público e privado.

O número de beneficiários da Caixa Geral de Aposentações (CGA) com pensões mensais acima de quatro mil euros mantém um ritmo de crescimento imparável: só este ano reformaram-se 256 funcionários do Estado com ‘reformas douradas’. Desde 1997, segundo dados da CGA, o número de indivíduos com pensões daquela ordem de grandeza cresceu 596 por cento, uma média de 317 novos ‘reformados milionários’ por ano. Ao todo, desde 1997, a CGA já atribuiu pensões de ‘luxo’ a 3710 pessoas, universo que representa um acréscimo de 7,4 por cento face ao ano passado.

Os dados da CGA deixam claro que o envelhecimento da população tem implicado um aumento progressivo do número de beneficiários com pensões elevadas nos últimos dez anos, em particular desde 2002: se entre 1997 e 2001 o número de ‘pensionistas milionários’ aumentou de 533 para 1363, já de 2002 a 2007 esse universo disparou de 1834 para 3710.

Entre esses pensionistas encontram-se personalidades tão conhecidas como Alberto João Jardim, presidente do Governo Regional da Madeira, Luís Filipe Pereira, ex-ministro da Saúde do Governo de Durão Barroso, Alfredo de Sousa, ex-presidente do Tribunal de Contas, Rodrigues Maximiano, ex-inspector-geral da Administração Interna, e Cândido Gouveia, juiz-desembargador que foi presidente do Conselho Fiscal do Benfica.

Entre os novos 256 reformados de ‘luxo’ de 2007 aparecem Eduardo Catroga, ex-ministro das Finanças, Leopoldo José Guimarães, ex-reitor da Universidade Nova de Lisboa, e o tenente-general Garcia Leandro. Ao todo, as 3710 ‘pensões douradas’ representam uma despesa anual mínima de 14,8 milhões de euros. in www.correiodamanha.pt (2007-12-03 - 13:01:00)

Reformaram-se este ano 256 funcionários públicos com direito a uma pensão superior a quatro mil euros. Destaque para um inspector-geral dos CTT, com uma reforma superior a 6800 euros, um juiz conselheiro com mais de 5800 euros e um juiz desembargador com 5600 euros. in http://sic.sapo.pt (Publicação: 03-12-2007 12:02)


Organismos internacionais traçam panorama negro

A OCDE e a UNESCO divulgaram, no mesmo dia, relatórios internacionais sobre o estado da educação e, em ambos, os alunos portugueses registam avaliações francamente negativas. No caso do estudo da OCDE, os estudantes de 15 anos estão "significativamente abaixo" da média dos seus colegas de outros países a nível de conhecimentos científicos. in Metro, 30 de Novembro de 2007


A nova queda e a central de ondas

Portugal volta a cair no Indice de Desenvolvimento Humano

Estamos agora em 29º na tabela que mede, entre outros indicadores, o poder de compra, literacia e esperança de vida. Na Europa fomos ultrapassados pela Eslovénia, Grécia e Chipre. Atrás de nós apenas a Hungria, Polónia e Bulgária. in Meia Hora, 28 de Novembro de 2007

... as dezenas de técnicos, directores-gerais e presidentes de vários institutos e ministérios não conseguiram articular entre si as obras dos molhes do Douro e da central das ondas. E o que é espantoso é que o IPM confessa que se desistiu porque não conseguiram fazer uma articulação "muito rigorosa entre as duas obras". HM in Público, 28 Novembro 2007, pag 52


Portugal das famílias

Eurodeputados contratam familiares para assessores. in Destak, 29 Novembro 2007, pag 07


Demo...

De acordo com um relatório da União da Imprensa da Rússia, citado pelo site do jornal espanhol El Mundo, o Canal 1 da televisão (pública) dedicou 93% dos programas políticos à campanha eleitoral de Putin. O Presidente teve direito a 41% das notícias, o Governo a 35% e o Partido Rússia Unida a 17%, sendo que o seu teor foi considerado "positivo ou neutral".

Os opositores ao regime, como a União de Forças de Direita e o Iabloko tiveram 0,5% de atenção noticiosa. O líder do Iabloko, Grigory Yavlisnky, prometeu, mesmo assim, não desistir: "Tenho a certeza que há muitos milhões de pessoas que apoiam a alternativa, que querem que regresse a democracia".
...
A repressão violenta de manifestações anti-Governo, nomeadamente a organizada no dia 24 de Novembro por Garry Kasparov, ex-campeão de xadrez, foi outro marco do condicionamento de Putin. Kasparov, que cumpriu cinco dias de prisão, foi impedido de concorrer as estas eleições com base nalguns dos novos preceitos da lei eleitoral. in www.sic.sapo.pt (Publicação: 29-11-2007 18:53)







2007/11/24

O ensino

Platão pretendeu ser pedagogo porque pensava que o ensino molda os homens. Se a República é a proposta de uma aberração eugénica, a ideia base está correcta. O ensino universitário tem de se submeter às mais elevadas exigências cientíticas e aos mais bem qualificados padrões internacionais. Já o ensino básico é o espaço (físico e temporal) onde se formam e estruturam os futuros cidadãos. O presente dos países resulta de aquilo que o ensino básico de cada país foi capaz de produzir. O futuro, em um mundo cada vez mais globalizado (passe o chavão), dependerá ainda mais da eficácia dos sistemas de ensino geral e elementar (designados como "básico" em Portugal), que criam e imprimem uma dinâmica que se vai extender directamente nos ensinos secundário e profissional. Como as universidades aparecem na sequência do ensino secundário estão implicadas e dependentes de aquilo que se passa na formação básica. Sequeira Costa tinha toda a razão quando afirmou que tudo reside na formação básica. Não só na música mas em tudo.

Todo o ciclo do ensino básico é o momento de crescimento mais determinante, após a relação com os pais, para a formação do futuro cidadão. Aí acontecerá a sedimentação de padrões comportamentais que perdurarão. Por outro lado, e isto Platão já não disse, a figura do professor pode ser substituta ou concomitante à do pai simbólico. Este aspecto é particularmente relevante nas chamadas famílias "desestruturadas". A ausência de pai "castrador" é normalmente mais grave que a presença de um pai autoritário porque deixa o caminho livre à estruturação de uma personalidade perversa. O pai autoritário é o fundamento da estrutura do neurótico mas não há notícia de neuróticos comuns andarem a violar, a assassinar, ou simplesmente usarem e servirem-se dos outros por sistema. Se não há ninguém que diga "isto não podes e não vais fazer porque prejudica aquela pessoa" está escancarada a porta para o crescimento de um futuro perverso. Basicamente o perverso vê as pessoas unicamente como objectos de gozo sendo a perversão uma estrutura psíquica que se sedimenta na infância, como todas as outras. A questão do bullying nas escolas do ensino básico é particularmente grave pois este comportamento pode ser a base de todas as redes de corrupção no futuro: um chefe que se impõe pela força sendo seguido acriticamente pela "massa", servindo-se dos mais fracos, que humilha, para impôr o seu "carisma". A "massa" passa a fazer das vítimas escolhidas pelo chefe alvos dos seus impulsos sádicos, coisa que lhes satisfaz e reforça o "ego" sendo concomitantemente uma maneira de bajularem o "boss". Estamos ao nível daquilo que de mais primitivo existe na natureza humana. Estamos no grau zero de aquilo que sustentou todo o género de atrocidades praticadas pelo homem ao longo da sua relativamente curta mas terrivelmente trágica história. As direcções das escolas que não saibam identificar as formas de bullying praticadas sobre professores e alunos são no mínimo incompetentes (em vez de falarem nas faltas dos primeiros seria interessante se fôsse feito um estudo, sério, sobre as depressões entre os professores do ensino básico em Portugal e respectivas causas). Aquelas que tendo conhecimento de casos de bullying os ignoram, ou agem como se nada de grave estivesse a acontecer, são simplesmente criminosas. Duplamente criminosas: primeiro, estão a participar numa espiral em que jovens se estruturam para serem futuros corruptos e criminosos; segundo, estão a participar, por omissão, num acto de violação da dignidade humana dos professores e alunos que são vítimas de bullying. Triplamente criminosas quando sabem que determinados professores ficam deprimidos (e obviamente faltam) devido a serem alvos de bullying e depois penalizam, ou permitem que tal aconteça, esses "docentes" devido ao seu elevado número de faltas e (muito cinicamente) acusam-os de não terem "pedagogia" para lidarem com essas situações. O mesmo em relação aos alunos que faltam com mêdo de serem insultados e até agredidos pelos colegas, alunos esses que são vítimas e não podem ser penalizados (mais penalizados...) pelas faltas que dão. Se o ministério da educação (estamos a falar de Portugal) e os seus organismos intermédios, as direcções regionais, em vez de analisarem devidamente o que deprime os professores que faltam sistematicamente por motivos "psíquicos", os penalizarem, estarão a colaborar em situações criminosas que acabarão por ser denunciadas internacionalmente e envergonharão ainda mais o país. Cabe ao governo mandar especialistas, autónomos e independentes das direcções das escolas, identificarem devidamente os casos de bullying para seguidamente tomar medidas adequadas, tanto em relação às vítimas como em relação aos agressores, cúmplices e responsáveis que substimaram as situações ou não agiram adequadamente. É fundamental criarem-se mais escolas especializadas, regulares e profissionalizantes, para onde deverão ser encaminhados os alunos que agridem verbal ou fisicamente e aqueles que por sistema impedem o bom funcionamento das aulas. Fazer luz e corrigir definitivamente as situações de bullying, agressão e indisciplina é elementar para que o sistema educativo em Portugal possa avançar e produzir resultados que possibilitem um futuro digno para o país. AST


Afinal é mesmo tudo relativo...

O vice-reitor da Universidade de Coimbra (UC) Pedro Saraiva congratulou-se com o facto de a instituição ser considerada a melhor a nível nacional no "ranking" mundial THES-QS, publicado pelo "The Times". "É o reconhecimento do esforço desenvolvido sermos, pela segunda vez consecutiva, a universidade mais cotada do universo nacional", disse o catedrático à agência Lusa.

Relativo a 2007, o "ranking" THES-QS, divulgado recentemente pelo Times Higher Education Supplement, coloca a UC como a quarta melhor universidade da Península Ibérica e a terceira melhor do mundo lusófono.

Na classificação de 2006, a Universidade de Coimbra foi considerada também a melhor dos países de língua portuguesa, sendo ultrapassada este ano pelas congéneres brasileiras de São Paulo e Campinas.

Pedro Saraiva desvaloriza esta descida, atribuindo-a a alterações nos critérios de avaliação.

Universidades do mundo anglo-saxónico estão no topo do THES-QS World Universities Rankings 2007, arrebatando os 16 primeiros lugares da classificação, com Harvard (EUA), Cambridge (Reino Unido), Yale (EUA) e Oxford (Reino Unido) à cabeça.

No ranking de 500 instituições, a UC surge na 319 posição, seguida da Universidade Nova de Lisboa (no 341 lugar) e da Católica.

Em termos europeus, a mais antiga universidade portuguesa ocupa a 153ª posição." in http://sic.sapo.pt (Publicação: 24-11-2007 20:59)

Se aparecer em 319º lugar é motivo de festejo... Dentro do "top 200" (as melhores 200) estão a Universidade de São Paulo e a Universidade de Campinas. A Universidade de Barcelona é a melhor da Península Ibérica, ocupando o 194º lugar. A última do "top 200", onde nunca constou nenhuma universidade portuguesa, é a sul-africana de Cape Town.


LAR DE PAULO R. FECHA POR CAUSA DOS MÉDIA

A Casa Pia fechou o Lar Cruz Filipe, local onde trabalhava o educador Paulo R. e estava internado o jovem de 14 anos que diz ter sido sido abusado no ateliê dos escultores Carlos Amado e Lagoa Henriques, em Junho passado, durante uma festa de São João.

Contactada pelo CM, a directora da Casa Pia, Joaquina Madeira, confirmou o encerramento. “Os jovens foram muito perturbados por alguns órgãos de comunicação social. Foi exactamente por isso que fechou.”

Segundo soube o CM, há mais de ano e meio que a decisão de fechar o Cruz Filipe tinha sido determinada, por este não oferecer, entre outras, condições de segurança para as crianças ali internadas. No entanto, só no passado dia 15 fechou portas, já depois de Joaquina Madeira saber do caso, que envolve o educador Paulo R. Os dez jovens que estavam no Lar Cruz Filipe foram transferidos para o Colégio de Santa Catarina.

VÍTIMA PRESTA DEPOIAMENTO CONSISTENTE NO DIAP

O jovem de 14 anos que disse ao semanário ‘Sol’ ter sido abusado no ateliê dos escultores Carlos Amado e Lagoa Henriques, em Lisboa, prestou um “depoimento consistente” no Departamento de Investigação e Acção Penal.

Segundo apurou o CM, José (nome fictício), de 14 anos, confirmou que foi abusado sexualmente durante uma festa de São João, em Junho, patrocinada por Carlos Amado e Lagoa Henriques, em que estiveram, entre outros, o musicólogo Rui Vieira Nery, que chegou a fazer parte de um governo liderado por António Guterres, de que também faziam parte Paulo Pedroso e Ferro Rodrigues.
...
PROTECTORES

Maria Augusta Amaral

A antiga directora do Instituto Jacob Rodrigues Pereira é conhecida na Casa Pia por ter desvalorizado os abusos sexuais de que foram alvo a maioria dos alunos e alunas surdos-mudos do instituto. Quando o pedopsiquiatra Pedro Strecht falou dessa situação, Augusta Amaral tentou que a provedora Catalina Pestana o desmentisse. Não conseguiu.

Amândio Coutinho

O assessor de Maria Augusta Amaral sempre esteve contra Catalina Pestana e tentou tudo para travar a reestruturação da Casa Pia. Catalina pediu a Augusta Amaral que o afastasse mas Coutinho permaneceu no cargo, embora sem receber a remuneração-extra a que tinha direito. Com Joaquina Madeira na Casa Pia, voltou a receber essa remuneração. in www.correiodamanha.pt (2007-11-24)


Viva a Austrália!

O novo primeiro-ministro autraliano, eleito hoje, prometeu retirar os soldados australianos do Iraque e, note-se bem, assinar o Tratado de Quioto.


Viva a Irlanda!

A Irlanda decidiu enviar forças para o Darfur, demonstrando ser muito mais que um mero "milagre económico".


logo da campanha Por Darfur


Segundo www.alexa.com continuamos a ser lidos por somente 0.000003% do total dos internautas mundiais. Pois... Parece que só existem 26 links a apontar para aqui... Obrigado aos 26! Jazzearredores.blogspot.com consegue conquistar 0.000225% dos internautas. Bravo!










2007/11/22

Maurice morreu. Viva Béjart!
Seu livro "O outro canto da daná" (1974) foi "profundamente inspirado" nas obras do filósofo e orientalista francês Henry Corbin (1973-1978), especialista em Islã iraniano. E os nomes de suas escolas de dança, "Mudra" e "Rudra", faziam referências a divindades indianas.

"Sempre achei que a dança estava ligada à divindade, que o sagrado se misturava ao movimento da dança, um universo trascendente que recorre ao inconsciente, diria, inclusive, às forças obscuras", insistiu este místico em seu livro de entrevistas.

O coreógrafo, que criticava o pensamento sectário, condenava o integrismo muçulmano e seus "derivados", colocando-o ao lado de outras religiões: "Inquisição espanhola ontem, integrismo muçulmano hoje, a História às vezes nos serve os mesmos pratos", dizia.

Como uma ironia do destino, um de seus balés, dedicado ao cantor árabe Oum Kalsum, foi censurado no Líbano, em novembro de 1999, por "ofensas ao Islã". No trecho criticado, homens oram enquanto que mulheres dançam em torno deles vestidas como vestais. in http://afp.google.com (22-11-2007)


Labels: ,

2007/11/21

Há algo

de estranho neste comportamento suicidário. Ou talvez não...

Relatório das Nações Unidas refere que Portugal está em quarto lugar quando se fala de diagnóstico de novos casos (de HIV), mas não relaciona números com proporção populacional. Quando se fazem essas contas, passamos de imediato para o primeiro lugar. in Meia-Hora, 21 de Novembro 2007

Se pensarmos na diminuição dos nascimentos e cruzarmos com esta informação, que não é novidade, parece que os portugueses, inconscientemente, decidiram que Portugal não vai continuar a existir. É uma maneira de tirarem o tapete às "élites": sem população deixam de ter país para explorarem... Não vale é a pena andarem a suicidar-se aos pedaços, e de todo morrerem como criminosos ao arrastarem desprevenidos. Como acontece, por exemplo, nas ruas e estradas portuguesas...


Contrastes

Estudo europeu conclui que, em Portugal, ter um emprego não significa que se esteja a salvo da miséria. Portugal é também o país com maior disparidade nos rendimentos.
...
França quer mais poder de compra. in Global notícias, 23 de Novembro de 2007


De cabalos para vurros

o PIB per capita português equivalia em 2005 a 69 por cento da média dos 30 países daquela instituição (OCDE), contra 72 por cento três anos antes. in Público, 22 Novembro 2007, pag 40


Ui...

Responsável suíço acusa "comunidade portuguesa de não ter cabeça"

Conselheiros das Comunidades Portuguesas indignados e apontam culpas para o embaixador
...
O documento constata que os alunos portugueses obtêm os resultados mais baixos entre estrangeiros, estão sobre-representados nas turmas de ensino especial e raramente acedem a uma formação pós-obrigatória.
...
No documento, refere, entre outros aspectos, que os fracos resultados escolares das crianças portuguesas devem-se "ao desinteresse total dos pais em acompanhar" a educação dos filhos e à "origem socio-cultural modesta" das famílias. in Semanário, 9 de Novembro de 2007, pag 20








2007/11/17

Ateliê em Lisboa frequentado por artistas e outras figuras conhecidas
...
Um jovem de 14 anos, acolhido no Lar Cruz Filipe, já prestou declarações no inquérito, que é conduzido pelo procurador João Guerra (magistrado que investigou os casos de 2002).
...
Este caso é muito recente e não constava da denúncia feita em Maio por Catalina Pestana.

As denúncias de José (nome fictício) são corroboradas por outros jovens
...
Havia muita gente importante, até políticos

Folheia uma revista da Casa Pia e reconhece alguns.
...
No ateliê, José passa a ser presença frequente a partir das quatro da tarde. Aí vê o primeiro filme porno: «António, o patrão do Renato, tinha filmes num armário. Cheguei a ver um em que homens violavam mulheres e depois matavam-nas. Depois abusavam de homens e faziam-lhes o mesmo».

Foi o colega do lar quem um dia lhe disse: «O António gostava de curtir contigo». Aos poucos, o homem foi avançando. José solta as lágrimas: «Tocava-me na pilinha e dava-me tapas no rabo».
...
Entre as várias mesas na festa, uma era só destinada ao seu lar. Paulo R. e a educadora Sandra estavam com duas raparigas menores e com Manuel, um colega de José. Os mais velhos serviam as bebidas e ajudavam no fogareiro. Cantava-se o fado, quando o educador lhe disse para tomar um medicamento. O miúdo estranhou: «Mas depois vou ficar com sono». E ficou. Buprex é um analgésico para dores violentas e ao mesmo tempo um opiáceo. Não é aconselhável a menores de 18 anos e provoca perturbações do foro psicológico e confusão mental.

José tombava de sono e o educador, depois de contornar uma escultura que se encontra no início da escadaria, sobe com ele o primeiro lanço: «Fiquei logo no primeiro quarto. Para cima há mais dois». O miúdo acordou com o frio. Estava quase nu e um líquido espesso colado à pele fê-lo desconfiar. Chorou muito antes de descer. Doía-lhe o corpo e desabafou com o educador, que lhe respondeu: «Isso é do crescimento e de teres suado enquanto dormias».

Quando a festa acabou, António foi à rua despedir-se dos putos. Distribuiu um chocolate a cada um: «A mim deu-me dois, porque me tinha portado bem». Quando chegou ao lar e se despiu, uma mancha vermelha de sangue nas cuecas voltou a alarmá-lo. Insistiu com Paulo R., mas este não mostrava qualquer preocupação: «Se continuar, logo vamos ao médico».
...
O jardim em frente ao Instituto Jacob – onde antigamente os surdos esperavam diplomatas das embaixadas em volta, que a troco de transístores e outras bagatelas compravam os favores sexuais dos alunos – serve de miradouro. No horário das aulas, Renato e Clemente (amigo e irmão de José) queimam aí o tempo.
...
Foi o educador quem o levou a primeira vez à vivenda do mestre: «Estava lá um homem velho, subi as escadas e, no quarto, meteu-me a pilinha na boca e fez-me o mesmo que fez ao José. Mas o Paulo R. não me lembro de me ter feito maldades».

Os minutos saltam sem que lhe saia palavra. O corpo treme ao menor ruído, o olhar percorre desconfiado quem passa. Tem um profundo distúrbio emocional e é medicamentado. É o regresso ao passado que o ajusta à realidade.
...
Paulo R., colega de curso de um irmão - que também trabalhou no instituto - de Amândio Coutinho, assessor da anterior directora do Instituto Jacob, fora colocado como educador no lar dos surdos, quatro anos antes. No Jacob, dizia-se à boca cheia que era o educador preferido da directora. Sem concluir os estudos como animador cultural, rapidamente chega a coordenador do lar. in http://sol.sapo.pt (Sábado, 17 Novembro)

O escultor Carlos Amado confirma a festa no seu ateliê: uma sardinhada de São João, para amigos e vizinhos, onde estiveram artistas plásticos e gente da música e do espectáculo. Passaram pela festa 60 a 80 pessoas, incluindo um grupo de alunos da Casa Pia.

"Um rapaz que é o Paulo Ramos, e a Sandra que o acompanha sempre, têm um grupo de miúdos dos quais tomam conta e para os quais organizam festas, ou vão ver espectáculos. E ele pediu-nos para vir também aqui à sardinhada. Porque não?", alega.

Paulo Ramos é educador do Lar Cruz Filipe, da Casa Pia e foi suspenso há dias, por suspeita de angariar crianças para a prática de abusos sexuais. Chegou a arranjar trabalho no ateliê para um aluno, amigo do rapaz que alega ter sido abusado.

Carlos Amado confirma esse facto, mas nega qualquer abuso durante a festa.
...
O caso está a ser investigado pelo Ministério Público, que no entanto ainda não pediu a colaboração da Polícia Judiciária. in http://sic.sapo.pt (18-11-2007 20:17)


A ONU e a UE em vez de andarem a perder tempo a aprovar resoluções contra a pena de morte que não terão efeitos práticos para além de eventualmente prolongarem o tempo de vida de algum assassino em série, deveriam era mandar tropas para o Darfur, onde cada dia que passa morrem inocentes. É muito fácil (e hipócrita) falar-se de "humanidade", "civilização" e outros chavões, enquanto se permite que um genocídio aconteça no Darfur e na Europa Portugal continue a ser um paraíso para pedófilos e outros criminosos.









Labels: ,

2007/11/15

Torpes

O assessor de imprensa de um eurodeputado inglês disse que o governo da Inglaterra apoia os McCann porque a polícia portuguesa é corrupta e Portugal não tem tradição de respeito pelas liberdades individuais. Um ministro português classificou de "torpes" estas afirmações. Não sei se alguém se vai dar ao trabalho de traduzir "torpes" mas o soundbit foi produzido pelas afirmações do assessor de imprensa. Toda a gente sabe que polícias portugueses estiveram implicados com as máfias da noite. Daí a misturar-se tudo e todos (são portugueses e polícias...) vai um passo. Todos viram agentes da PJ de fato e gravata ou vestidos normalmente trabalharem no local de onde desapareceu a criança britânica, quando em todo o mundo se vê esses mesmos agentes utilizarem vestuário adequado. Mas todos imaginamos que os primeiros a não preservarem o cenário do crime foi a força policial regular que inicialmente foi chamada. Ou ligaram logo para a PJ?! Independentemente da primeira hipótese ter sido a de rapto havia que selar e isolar o local para recolha de materiais que até poderiam conduzir ao raptor. Se fosse esse o caso... Não será portanto de espantar que agora o resultado das análises executadas pelo laboratório inglês seja "inconclusivo" devido à contaminação das amostras. E ficaremos sem saber se na realidade assim é ou se aconteceram pressões para que assim fosse. Não seria a primeira vez que isso aconteceria em Inglaterra para salvaguardar os superiores interesses do reino... O que as televisões internacionais mostrarão (já mostraram) são as imagens que comprovam a incompetência e falta de profissionalismo dos agentes portugueses. Noutra dimensão, todos em todo o mundo sabem que em Portugal há cães raivosos que circulam nas estradas, insultando, buzinando e atropelando quem tenha a infelicidade de se lhes atravessar à frente, tipos que num país que respeitasse a vida e a dignidade humanas estariam há muito inibidos de conduzir e na prisão os que praticaram atropelamentos com mortes ou feridos com gravidade. Um país de características terceiro-mundistas com um povo inculto e pouco qualificado não pode dar-se ao luxo de ter uma legislação decalcada de um país tido como culto e civilizado (o código penal português inspirou-se no alemão e no que toca à Alemanha e à sua civilidade muita água poderia correr porque a história recente não é para esquecer). Todo o mundo soube do abuso de menores por figuras "maiores" numa instituição do estado português e todo o mundo vai ter notícia da incompetência (no mínimo!) de uma provedora que permitiu que os abusos recomeçassem. Foi necessário uma ex-provedora vir à praça pública dizer que os abusos continuam para que se fizesse alguma coisa! É vergonhoso e inaceitável! A Europa e a comunidade internacional têm de manter Portugal debaixo de olho porque sob o europeísmo de superfície esconde-se um país muito mais atrasado do que aparenta, dominado por élites pouco íntegras. Mas, se esses assessores de imprensa ao serviço dos gabinetes ministeriais, muito bem pagos com dinheiros públicos, tivessem outras competências para além das manobras de bastidores para tentarem controlar os meios de informação, teriam informado o ministro de que actualmente existem fortes críticas e polémicas em relação a Ian Blair, conhecido chefe da polícia londrina muito apoiado pelo governo britânico, que para além de o responsabilizarem pela morte de Jean Charles de Menezes que a polícia confundiu (e matou!) com um bombista suícida, o envolvem em escândalos ligados à gestão de dinheiros. Se em vez de lhes chamar "torpes", que é mais um termo português very tipical como "arguido", o ministro tivesse respondido "está enganado senhor assessor de imprensa pois quem é acusado de corrupção e incompetência é sir Ian Blair", o soundbit seria outro. AST


Os créditos são dos mais elevados, como se sabe. A fama vem de longe, sucessivamente revista e aumentada pelo olhar que sobre ele foram deitando luminárias como Miles Davis, que mandava os pianistas dos seus primeiros grupos tocar como ele toca. A música de Miles, ela própria, deve muito às concepções de Ahmad Jamal. Se se atentar, por exemplo, na forma de tratar o espaço e o silêncio, no cromatismo e no tipo de progressão harmónica num e noutro caso, descobrem-se inúmeras afinidades entre eles. E ontem à noite (13 de Novembro), diante dos olhos e dos ouvidos do público presente no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, que enchia por completo a sala, percebeu-se porque é que Jamal tem sido motivo de inspiração para tanta gente, de há cinco décadas para cá. A verdade é que mestre Ahmad Jamal, 77 anos, tecnicista com alma, pianista de pianistas, deu um grande concerto com o seu quarteto maravilha. Assim foi, por todo um amplo conjunto de razões: tratamento do piano com extrema elegância, força percussiva e agilidade harmónica; variação dinâmica e verve lírica; mão esquerda poderosa, a gerir ritmo e harmonia, mão direita inefável e arrebatadora. in http://jazzearredores.blogspot.com (14.11.07)










2007/11/13

Integral das sinfonias de Sibelius

Los Angeles Philharmonic, dirigida por Esa-Pekka Salonen, apresentou em quatro concertos no Barbican a integral das sinfonias de Sibelius. Salonen, esperadamente, fez uma leitura clara e imaginativa do seu contemporâneo mas foi a surpreendente excelência da orquestra americana o que mais impressionou. Salonen, no concerto de 1 de Novembro, apresentou a sua obra Wing on Wing e o meu conselho é que continue a ser um bom chefe de orquestra em vez de ser um mau compositor a vaguear por lugares desprovidos de originalidade e interesse. Já de Quatre Instants, para soprano e orquestra da compositora Kaija Saariaho, interpretada no concerto de 9 de Novembro, devo dizer que é uma obra inspirada e interessante na linha estética que a criadora tem vindo a desenvolver ao longo da sua carreira. Na voz tivemos uma fantástica Karita Mattila que soube investir toda a emoção que esta obra exige. A sala, esgotada, aplaudiu de pé. No concerto de 2 de Novembro tinha sido interpretada Radical Light, criação dotada de uma orquestração notável, do compositor Steven Stucky. Já que estamos a falar de obras contemporâneas devo referir o concerto de 27 de Outobro, no mesmo local, onde Anne-Sophie Mutter com a London Symphony Orchestra, dirigida por André Previn, interpretaram In tempus praesens (Violin Concerto No 2), de Sofia Gubaidulina, obra emotiva e forte que levantou das cadeiras o público que enchia a sala. Livios Pereyra


Mas que rico país...

Deputados vão gastar 18 mil euros por dia em deslocações. in Destak, 13 Novembro de 2007

Em época de contenção orçamental, e com a administração pública sujeita a restrições na aquisição de viaturas novas, por indicação do Decreto de Execução Orçamental para 2007, o ministro da Justiça acaba de comprar cinco automóveis topo de gama. O negócio, sem incluir o imposto automóvel (IA), de que as instituições públicas estão isentas, rondou um valor global de quase 176 mil euros (35 mil contos) e foi por ajuste directo, sem recurso a concurso público...

...um dos contemplados com um novo carro de alta cilindrada foi o presidente do IGFIEJ, com um Audi Limousine 2.0TDI, de 140 cavalos. Esta viatura, sem o IA, custou ao Estado 38 615,46 euros, com 2831 euros de equipamento opcional, nomeadamente caixa de 6 CD, computador de bordo a cores, sistema de navegação plus, sistema de ajuda ao parqueamento, alarme e pintura metalizada. Antes, João Manuel Pisco de Castro tinha ao seu dispor um outro Audi A6, com motorista de serviço, e um Peugeot 404, que conduzia pessoalmente. Estas viaturas tinham sido adquiridas em 2003. Mas também quatro Volkswagen Passat Limousine 2.0TDI - 34 257,40 cada -, foram para o Ministério: um para o gabinete de Alberto Costa, outro para o secretário de Estado João Tiago Silveira, outro para Conde Rodrigues, e o último para a secretaria geral.

O Ministério da Justiça, conforme foi explicado ao DN, recorre geralmente, para o seu serviço e inclusivamente para uso do ministro, a viaturas aprendidas, a maior parte oriunda do tráfico da droga. São, em geral, bons carros. Esta prática terá sido abandonada em época de contenção financeira. in http://dn.sapo.pt (2007/11/13)


E não é verdade?

Se os artistas se recusarem a pagar as sanções devem mesmo ser detidos, defendem os advogados. Os acusados foram autores de uma caricatura publicada como forma de satirizar o anúncio, por parte do Governo de José Luís Rodriguez, de que cada família iria receber 2500 euros de cada vez que tivessem um filho.

No cartoon aparece retratado Felipe e Letizia a terem relações sexuais, enquanto o príncipe diz: «Estás a ver? Se engravidares… isto vai ser o mais parecido a trabalhar que eu fiz na vida!». in http://sol.sapo.pt (3a-feira, 13 Novembro)









Labels: , ,

2007/11/12

Mailer

O escritor norte-americano Norman Mailer morreu na madrugada de ontem, aos 84 anos, no Hospital Monte Sinai, em Nova York, Estados Unidos...

Um dos principais autores da corrente literária dos anos 60 conhecida como “new journalism”, ou jornalismo literário, Mailer escreveu mais de 40 livros, ensaios e peças para o teatro. Vencedor de dois prêmios Pulitzer, colaborou durante anos com a revista Esquire, uma das principais referências do romance de não-ficção.

Com uma carreira de quase 50 anos, o escritor foi co-fundador da revista alternativa nova-iorquina Village Voice. Filho de uma família judia de classe média de Long Branch (New Jersey), tornou-se um dos intelectuais mais conhecidos dos Estados Unidos e foi um dos grandes críticos da sociedade norte-americana. Mailer casou-se seis vezes e teve nove filhos. Vivia com a sua sexta mulher.

O escritor se definia como um “conservador de esquerda” e, nos anos 60, opôs-se à Guerra do Vietnã. Boa parte de suas obras é de conteúdo político. Detido várias vezes por suas brigas e pela oposição à guerra, o escritor se voltou também contra as feministas por seus comentários considerados machistas sobre as relações entre os sexos.

“Acho que, agora que as mulheres atingiram poder e reconhecimento, tornaram-se muito iguais aos homens em cada estupidez, vício e falta de julgamento que tivemos no curso da História”, declarou em uma entrevista promovida em 1991 pela Time com líderes feministas. “Elas pensam pequeno e lutam pelo poder. O movimento feminista está repleto de tiranas, do mesmo modo como os movimentos conduzidos pelos homens.” in http://txt.estado.com.br (Domingo, 11 novembro de 2007)


Sintomático...

"Não é que tenha medo dos McCann, mas todo este lóbi económico e político que rodeia o casal atemoriza verdadeiramente qualquer pessoa." As declarações são do advogado inglês de um dos amigos dos pais de Madeleine, para justificar o silêncio do seu cliente.

Presente na noite do desaparecimento da criança, é uma das sete pessoas que passavam férias com a família McCann no Ocean Club e que jantava com Kate e Gerry no restaurante do aldeamento turístico. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, o seu advogado afirma: "O meu cliente vê-se obrigado a guardar silêncio, é o que pode fazer para ajudar a investigação. E não estou a falar do sigilo a que obriga a lei portuguesa, mas das estranhas circunstâncias que rodeiam o caso."
...
Mas a mesma fonte esclarece também: "O meu cliente deseja trazer à luz toda a verdade, não pretende acusar nem culpar ninguém, porque esse é o trabalho da polícia. E não lhe interessa quem poderá sair prejudicado."

Assumindo uma posição crítica em relação ao desenvolvimento do caso, que afirma estar longe de ser "um caso de polícia normal", o advogado inglês chega mesmo a culpar o Governo britânico. "Entendo que o nosso governo tenha a obrigação legal de ajudar os McCann. O que não posso compreender é que eles receberam apoios que vão muito mais além do que seria normal. Essas intervenções foram prejudiciais ao meu cliente e à averiguação da verdade", disse. in http://dn.sapo.pt (Lisboa, 12.11.07)









Labels:

2007/11/09

Um quarto dos portugueses não lava as mãos antes das refeições, revela um estudo internacional do Conselho de Higiene, que teve como amostra cerca de mil pessoas com mais de 35 anos, que habitam em particular o Norte e Centro de Portugal e Lisboa.

Este estudo conclui ainda que metade dos portugueses não lava as mãos depois de espirrar ou tossir, ao passo que um quinto não lava as mãos depois de pegar em animais.

Um em cada dez também não lava as mãos depois de ir à casa de banho, enquanto que 15 por cento não o faz após comer ou pegar em comida.

Por seu lado, 72 por cento dos inquiridos considerou que os filhos apanham mais infecções na escola, ao passo que 40 por cento entende que é na sanita ou na roupa suja que podem ser encontrados mais germes.
...
O Conselho de Higiene, que junta especialistas internacional em microbiologia, virologia e imunologia e Saúde Pública, realça que o lavar das mãos reduz o risco de doença em 20 por cento e o risco de infecções em 60 por cento. in http://tsf.sapo.pt (09:20 / 07 de Novembro 07)












2007/11/06

Alô América!

A Comissão Europeia, presidida por José Manuel*, considerou que as medidas do governo italiano não violam as disposições comunitárias. Alô States! Alô Canadá! Já sabem o que fazer quando se quiserem ver livres de alguns europeus: achamos que és uma ameaça por isso vais despachado para a porcaria da tua terra, cabrão!

* o novo tratado europeu tem pelo menos o mérito de reduzir os poderes destas comissões dirigidas por tipos cinzentos como Prodi e Barroso.


Por volta da mesma altura em que o romeno assassinou a mulher italiana, um italiano de 23 anos participou num crime horrendo em que uma estudante Erasmus inglesa foi assassinada depois de ter sido abusada sexualmente. A polícia italiana deteve 3 dos supostos criminosos (foram recolhidas impressões digitais de um quarto elemento) em 4 dias. Encontram-se detidos para além do italiano (na página que criou no myspace aparece mascarado de cirurgião com uma faca de carniceiro numa mão e o que aparenta ser uma embalagem com ácido na outra) mais duas pessoas. Uma é dos EUA, tem 20 anos e foi educada num colégio jesuíta*. É namorada do italiano, partilhava o apartamento com a vítima e trabalhava para o terceiro suspeito, que é um africano do Congo com 37 anos. Trata-se de um conhecido empresário local e músico de reggae que colaborava com a universidade de Perugia. É casado com uma polaca e pai de uma criança. Foi quem consumou a violação previsivelmente ajudado pelos outros criminosos. Alegadamente foi quem desferiu os golpes que causaram a morte de Meredith Kercher. De de acordo com as perícias efectuadas a estudante teve uma morte lenta e dolorosa. Sabe-se que anteriormente o congolês se tinha declarado a Meredith e tinha recebido uma resposta negativa, no entanto durante o primeiro interrogatório afirmou não a conhecer... Todos proclamam estar inocentes, mas na face da vítima foram encontradas marcas feitas pelos dedos da americana e nos lençóis impressões digitais do italiano. Um homem, em Roma, afirma ter recebido, por engano, um sms a dizer "para mim Meredith vai morrer esta noite ou amanhã", escrita em inglês, mas como não reconheceu o número desgravou a mensagem... Muito recentemente a Itália viveu outro caso mediático em que o namorado (italiano) de uma jovem (italiana), muito estimado e aceite pela família da mesma, lhe esmagou o rosto com um objecto de metal. Também se declarou inocente... Nem o governo italiano tomou medidas para proteger as mulheres deste tipo de violência, que não é nova, nem aconteceram movimentações da "sociedade civil" nesse sentido. Impressionante contraste...

* In July Ms Knox, who was educated at a $12,000-a-year (£5,750) Jesuit college, was fined $269 over a “residential disturbance”. She wrote on Facebook: “I don’t get embarrassed and therefore have very few social inhibitions.” in Meredith Kercher ‘killed after refusing orgy’ in http://www.timesonline.co.uk (November 7, 2007)


Neste dia soube-se que as emissões de gazes poluentes produzidos pelos paises ricos em 2005 só encontram níveis equivalentes se recuarmos até 1990. Um brilhante futuro... talvez um pouco acinzentado...










2007/11/03

Vergonha!

Os italianos, conhecidos por constituirem das maiores comunidades imigrantes em todo o mundo ocidental, decidiram que os imigrantes, em Itália, que sejam considerados "ameaças à segurança pública" possam ser expulsos automaticamente por decisão de um juiz, sem ser necessário julgamento. Toda uma histeria colectiva devida a um crime praticado por um imigrante romeno, denunciado por uma elemento da mesma comunidade que colocou a sua própria segurança em risco. Mas este facto, sem o qual talvez ainda andassem à procura do criminoso, não parece sensibilizar o bom povo italiano... Se todos os países expulsassem os italianos que cometeram crimes, a Itália encontrar-se-ia a com um problema sério...

Seguindo a "vontade do povo", as autoridades italianas destruiram as barracas onde se aglomeravam os imigrantes romenos nos arredores de Roma, deixando-os desalojados, criando assim um dos cenários mais infâmes do pós-guerra. A Presidência da União Europeia e a Comissão Europeia deveriam explicar aos italianos que na Europa, pelo menos na Europa da UE, não vale tudo.










2007/11/02

Contabilizando tudo e tendo em conta que a Inglaterra ao contrário de Portugal tem poder, poderia ajudar a mudar o mundo para melhor mas na verdade tem andado a lixar meio mundo*, quem deveria ir levar no .. é a rainha de Inglaterra e toda a porcaria da família real que vive de chular os ingleses e estrangeiros que trabalham em Inglaterra, pelas taxas, e chulam ainda toda a Comunidade Europeia pelos subsídios que a rainha (que é quem mais terras possui na Europa e por isso quem mais apoios consegue) leva anualmente, ou seja, 544,000 libras. O filho, Charles, recebe 225,000 libras anuais da UE. Outros grandes proprietários ingleses recebem igualmente fortunas anuais, pagas pela UE, que em alguns casos chegam às 400,000 libras.

* Portugal e Espanha no passado lixaram e roubaram cada qual uma metade do mundo. Não seria exactamente meio mundo mas por lá andou... Ainda que Espanha se auto-considere uma "potência média" (ha, ha, ha), não lhes serviu para muito...

Neste dia soube-se que o resultado da segunda bateria dos testes feitos por um laboratório inglês apontam, aparentemente, no sentido de os McCann estarem implicados no desaparecimento da filha Maddie. As pessoas, os portugueses que os apuparam, devem guardar os assobios para si mesmos, para o que de mal fizeram durante a vida e continuam a fazer, porque os McCann, se forem culpados, devido à imagem mundial que eles mesmos construiram, para além da punição legal serão bem punidos para o resto da vida.











e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr