2007/02/05

YEFIM BRONFMANN: SERKIN FOI UM GRANDE MÚSICO

Alvaro Teixeira: Há muitos anos estive num ensaio com o Ensemble Contemporain, onde você tocou dirigido por Boulez...

Yefim Bronfmann: Não me parece. É a primeira vez que trabalho com Pierre Boulez...

AT Então nunca tocou com Boulez...

YB É a primeira vez.

AT Hum...

YB Desejo voltar a tocar, no futuro.

AT Que sentimento experimentou ao tocar com esta... interessante orquestra*?

YB É como se estivesse a fazer música de câmera, está a ver? É uma sensação única tocar com estes fantásticos músicos. Tocar Mozart com eles é especial por estes músicos escutam-se uns aos outros, tal como acontece na música de câmera. O piano, aqui, é parte de um mesmo corpo.

AT Isso aconteceu hoje, neste ensaio?

YB Sim. Absolutamente. Acontece sempre com esta orquestra e em todos os concertos. Todos este artistas estão comprometidos com a unidade da interpretação.

AT Como é Boulez a fazer Mozart?

YB É um músico fantástico, compreende?

AT Em Mozart?

YB Bem. O som desta orquestra é fantástico e...

AT Ela poderia tocar Mozar sem condutor...

YB Qualquer orquestra o pode fazer, mas com um grande condutor como Boulez a orquestra sente-se mais inspirada, e você sabe muito bem que esta orquestra tem um respeito imenso por Pierre Boulez. Tocam ainda melhor com ele e desejam tocar com ele.

AT Eu sei. Você faz música contemporânea com regularidade?

YB Tenho muitos planos nessa área. A próxima semana farei a "premiére" do concerto para piano e orquestra de Esa-Pekka Salonen, que o dedicou a mim. Irei interpretá-lo com a New York Philharmonic.

AT Onde vive habitualmente?

YB Em New York.

AT É dos EUA?

YB Sou do Uzbequistão.

AT Quem foram os seus professores?

YB Arie Vardi, Rudolf Serkin e León Fleisher.

AT Serkin! Um dos maiores pianistas de sempre.

YB Ha sim! Um grande pianista! Um grande músico!

AT Não sabia que ele dava aulas regularmente.

YB Sim. Ensinou muitos anos. Foi director do Malboro Music Festival onde fui três verões tocar música de câmera.

AT Porque gosta tanto da música germânica?

YB Porque é um grande repertório.

AT Mas Mozart não é alemão. Mozart é Austríaco.

YB É verdade. E então?

AT Não é música germânica.

YB É grande música. Pertence a esta grande área que podemos designar de tradição germânica.

AT Quais são, para si, as principais diferenças entre as orquestra europeias e as americanas?

YB Há grandes orquestras na América e há grandes orquestras na Europa. Aqui toca-se de maneira diferente. As cordas... Os sopros. Especialmente os sopros... As trompas... Tocam diferentemente... Mas sabe, é sempre um grande prazer tocar com uma grande orquestra, seja aqui, seja em qualquer outro lugar.

AT E foi um prazer conversar com o Yefim .

YB Igualmente. Muito obrigado.

* Wiener Philharmoniker














e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr