2008/03/26

A Casa de Sócrates

A Casa de Sócrates no registo predial, não passa de um simples apartamento.

Na verdade trata-se de uma casa senhorial no coração de Lisboa. São cinco assoalhadas dum 3º andar no edifício Heron Castilho. Tem 150 metros quadrados, avaliados em 800.000 euros, que custaram em Fevereiro de 1996, 240.000 euros.

Antes vivia num modesto apartamento T2 na calçada Eng. Miguel Pais, em São Bento. Na garagem tem um Mercedes C230. Longe vão os tempos em que conduzia um modesto Rover 111.

Além disto frequenta restaurantes caros e usa fatos de marca. Como pode Sócrates viver como um homem rico, com 82 mil euros brutos (57 mil líquidos) que declarou ao Tribunal Constitucional ganhar por ano? Diz não ter rendimentos de quaisquer empresas, acções ou planos de poupança. O único património que diz ter é o carro, a casa e ordenado.

Esqueceu-se de dizer que foi sócio da Sovenco? Sociedade de Venda de Combustíveis Lda., com sede na Reboleira, Amadora, em que está registado na matrícula da sociedade. No seu site, Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, não consta este pormenor.

Segundo fontes, o Ministério Público está a investigar os investimentos governamentais efectuados nas áreas do tratamento de resíduos urbanos, e a sua relação com o financiamento de actividades partidárias, durante o período em que José Sócrates exerceu funções governativas (Ministro do Ambiente de António Guterres).

Uma das principais dúvidas recai sobre o processo de adjudicação do concurso para o sistema da recolha e tratamento de resíduos do Planalto Beirão.

A Sovenco, criada em 1990, era uma Sociedade de Venda de Combustíveis. A sua constituição: Armando Vara, Fátima Felgueiras, José Sócrates, Virgílio de Sousa.

Sócrates finge, agora, não se lembrar dessa sociedade que fez. E porque se tenta ele esquecer?

Porque:

Armando Vara - condenado a 4 anos de prisão (pena suspensa); no entanto recebeu o prémio do amigo José Sócrates, e agora é ADMINISTRADOR DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, com 20.000,00 euros por mês, mais extras.

Fátima Felgueiras - andou foragida da Justiça no Brasil dois anos; HOJE É ELEITA PRESIDENTE DE CAMARA DE FELGUEIRAS, e tem imunidade parlamentar.

Virgílio de Sousa - condenado a prisão por um processo de corrupção no Centro de Exames de Condução de Tábua.

Compreende-se que Sócrates não se queira lembrar. Que "ricos" amigos, hein?...Como é mesmo aquele provérbio?...

"Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és!"

Sócrates já não se lembra... Convém que o pessoal não se esqueça!!! (texto enviado por leitor identificado - imagem extraída de http://ferroadas2.blogspot.com)


O homem da pasta

Sou professora há 35 anos e tenho uma colega na escola que foi colega de curso do Valter Lemos em Biologia. Logo que ele entrou para o governo, a referida colega comentou que "tínhamos um belo Secretàrio de Estado. Foi meu colega na Faculdade de Ciências e passou o curso todo a copiar nos exames. Era conhecido como o "homem da pasta", pois tamanhas eram as cábulas.... "
Aos 20/23 anos já se é adulto ( digo eu...) e os traços de carácter já lá estão!!!!!!
Quanto ao Politécnico de Castelo Branco, nem vale a pena acrescentar mais... Eu vi uma reportagem num dos canais generalistas, há uns tempos, em que uma Prof. do referido Politécnico se dizia vítima das arbitrariedades e ilegalidades desse senhor. Foi preterida em concurso a favor de uma "amiguinha" muito menos qualificada, pelo que tinha posto uma acção em Tribunal contra o EXCELSO /COMPETENTE/ HIPERACTIVO PLANTADOR DE UNIVERSIDADES que dá pelo nome de Valter Lemos.
Claro está que a dita professora pode esperar sentada o desfecho da acção... Como sempre, em Portugal, sempre que a acção é contra um "poderoso" o povo pode esperar... (em email de leitora identificada)


Lemos perdeu mandato

Valter Lemos insistiu que a perda de mandato por excesso de faltas implicaria a existência nos arquivos camarários de um processo de que nunca foi alvo. O secretário de Estado reafirma que suspendeu o mandato de vereador "devido ao acréscimo significativo de trabalho" no Instituto Politécnico de Castelo Branco, onde leccionava. Garantindo que "não deu nenhuma falta injustificada", classificou as acusações de Francisco Louçã e da Fenprof como uma "tentativa de assassinato de carácter" e "baixa política".

BE insiste na demissão

O BE insiste Valter Lemos "não tem capacidade para se manter" no Governo. Ao JN, Fernando Rosas argumentou que o secretário de Estado da Educação se colocou "numa situação muito embaraçosa", ontem, ao constatar-se que "mentiu" por duas vezes desde que a polémica rebentou. Primeiro, quando afirmou "que nunca tinha faltado", depois ao garantir que "não há nenhum documento camarário" que comprove a perda de mandato. A acta da reunião de Câmara existe, "o que não há é um processo" porque a decisão da vereação foi anulada por se basear numa lei que já não estava em vigor, explicou o deputado. Ou seja, concluiu, Valter Lemos "refugiou-se num subterfúgio" processual para apagar as faltas que, efectivamente, deu.

"É uma personalidade política inquietante mente e quando é apanhado refugia-se num subterfúgio", insistiu o dirigente do BE.

Confirmada a perda de mandato

O presidente da Câmara de Penamacor confirmou, ontem, por comunicado enviado à Lusa, a perda de mandato por Válter Lemos aprovada, em 1993, numa reunião camarária. O problema, especificou o autarca eleito pelas listas do PS, Domingos Torrão, em defesa do secretário de Estado, é que essa decisão foi anulada, porque se baseava numa lei de 1984, alterada cinco anos depois. Por isso, nunca chegou a ser instituído processo a Válter Lemos. Segundo a nota de Imprensa, da acta da reunião camarária de 7 de Dezembro de 1993, cinco dias antes das autárquicas, consta que Valter lemos "ficou abrangido" pelos termos constantes da Lei nº 100/84, tendo o executivo "declarado a perda de mandato". in jn.sapo.pt/2005/11/24/politica/


António Pinto de Sousa

É o novo responsável pelo gabinete de comunicação e imagem do IDT (Instituto da Droga e Toxicodependência).

Tem competência atribuída , para empossar quem quiser, independentemente da sua qualificação académica e profissional, para os cargos dirigentes do Instituto, contrariando os próprios estatutos do IDT.

ahahah... que já me esquecia de dizer:

é irmão de José Sócrates. (em e-mail de leitor identificado)



Labels:

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr