2008/11/27

Casa Pia: festa de São João

23 de Novembro de 2007

Três anos após o início do maior julgamento de sempre em Portugal, no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa está já em curso um novo processo de inquérito, na sequência da existência de novos índicios de abusos sexuais, denunciados por jovens de pelo menos um dos lares de acolhimento da Casa Pia.

Porém, o caso não está a merecer qualquer tratamento especial, revela hoje o Público.

Numa polémica entrevista ao semanário Sol, a ex-Provedora da instituição, Catalina Pestana, afirmava existir uma rede interna de angariadores de crianças na Casa Pia. Suspeitas que, dias depois, acabaram por ser corroboradas pelo advogado ex-casapiano, Pedro Namora.

Fortes indícios de abusos sexuais recaem sobre um educador do lar Cruz Filipe, Paulo R., que acabou suspenso por “violação grave dos deveres gerais e do especial dever de protecção das crianças”.

Vários jovens acusam-no de transportar habitualmente alunos a casas particulares, em Lisboa, onde alegadamente decorrem os abusos.

Um deles, actualmente com 14 anos, garante ter sido abusado sexualmente em Julho, numa festa de São João, que habitualmente é organizada no ateliê do escultor Carlos Amador, em Belém. Na casa terão estado figuras conhecidas e artistas (ver caixa). *

Várias pessoas já foram ouvidas no âmbito do novo inquérito, incluindo a actual presidente da instituição, Joaquina Madeira. No passado dia 15, numa entrevista à RTP, a responsável admitiu que, face à recente suspensão do educador, existiam indícios de abusos sexuais envolvendo alunos da instituição, mas referia que nada se passou dentro da instituição.

Certo é que o novo escândalo suscitou a reacção do ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, José Vieira da Silva, que acabou por garantir que todas as medidas administrativas tinham sido tomadas para que a situação fosse esclarecida.

* Quem estava na festa?

Rui Vieira Nery esteve na festa de São João onde jovens casapianos dizem ter sido abusados sexualmente, noticia o CM.

"Não vi nada. Nem sabia que lá estavam alunos da Casa Pia. O que vi foi um ateliê apinhado de gente. Com muitos amigos da casa, a maioria pessoas de muita idade e muita gente do bairro de diferentes gerações. Desde crianças de colo até aos avós".

O procurador-geral da República, Pinto Monteiro, deverá ainda hoje anunciar a criação de uma equipa multidisciplinar dedicada à investigação dos abusos sexuais. O CM adianta que a equipa poderá ter uma estrutura idêntica à do Apito Dourado.

Labels: ,

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr