2010/04/16

Nervosos não! *

Na abertura do fórum económico que juntou empresários checos e portugueses, Václav Klaus manifestou a sua admiração por Portugal não estar “nervoso” perante um défice público tão alto. publico.pt, 16 Abril

* simplesmente sem vergonha */**

Nota: já agora, será que o facto do Ryder Cup 2018 se ir realizar na Herdade da Comporta, que possui zero (ou a tender para zero) de infra-estruturas para um evento desta natureza, tem a haver com o facto de ser propriedade do BES (entretanto a região que possui as infra-estruturas e o know how foi eliminada)? Esperemos que na Comporta não hajam sobreiros por perto...


* Por cada reunião receberam 7427 euros

Por cada reunião do conselho de administração das cotadas do PSI-20, os administradores não executivos - ou seja, sem funções de gestão - receberam 7427 euros. Segundo contas feitas pelo DN, tendo em conta os responsáveis que ocupam mais cargos deste tipo, esta foi a média de salário obtido em 2009. Daniel Proença de Carvalho, António Nogueira Leite, José Pedro Aguiar-Branco, António Lobo Xavier e João Vieira Castro são os "campeões" deste tipo de funções nas cotadas, sendo que o salário varia conforme as empresas em que trabalham.

Proença de Carvalho é o responsável com mais cargos entre os administradores não executivos das companhias do PSI-20, e também o mais bem pago. O advogado é presidente do conselho de administração da Zon, é membro da comissão de remunerações do BES, vice-presidente da mesa da assembleia geral da CGD e presidente da mesa na Galp Energia. E estes são apenas os cargos em empresas cotadas, já que Proença de Carvalho desempenha funções semelhantes em mais de 30 empresas. Considerando apenas estas quatro empresas (já que só é possível saber a remuneração em empresas cotadas em bolsa), o advogado recebeu 252 mil euros. Tendo em conta que esteve presente em 16 reuniões, Proença de Carvalho recebeu, em média e em 2009, 15,8 mil euros por reunião.

O segundo mais bem pago por reunião é João Vieira Castro (na infografia, a ordem é pelo total de salário). O advogado recebeu, em 2009, 45 mil euros por apenas quatro reuniões, já que é presidente da mesa da assembleia geral do BPI, da Jerónimo Martins, da Sonaecom e da Sonae Indústria. Segue- -se António Nogueira Leite, que é administrador não executivo na Brisa, EDP Renováveis e Reditus, entre outros cargos. O economista recebeu 193 mil euros, estando presente em 36 encontros destas companhias. O que corresponde a mais de 5300 euros por reunião.

O ex-vice presidente do PSD José Pedro Aguiar-Branco é outro dos "campeões" dos cargos nas cotadas nacionais. O advogado é presidente da mesa da Semapa (que não divulga o salário do advogado), da Portucel e da Impresa, entre vários outros cargos. Por duas AG em 2009, Aguiar--Branco recebeu 8080 euros, ou seja, 4040 por reunião.

Administrador não executivo da Sonaecom, da Mota-Engil e do BPI, António Lobo Xavier auferiu 83 mil euros no ano passado (não está contemplado o salário na operadora de telecomunicações, já que não consta do relatório da empresa). Tendo estado presente em 22 encontros dos conselhos de administração destas empresas, o advogado ganhou, por reunião, mais de 3700 euros.

Apesar de desempenhar apenas dois cargos como administrador não executivo, o vice-reitor da Universidade Técnica de Lisboa, Vítor Gonçalves, recebeu mais de 200 mil euros no ano passado. Membro do conselho geral de supervisão da EDP e presidente da comissão para as matérias financeiras da mesma empresa, o responsável é ainda administrador não executivo da Zon, tendo um rácio de quase 5700 euros por reunião. dn.pt, 16 Abril

Nota: não haverá por acaso qualquer ligação entre isto, o "défice", e a situação de total descalabro do país? Se estes senhores são tão bons para ganharem tanto dinheiro só para assistirem a reuniões e manifestarem as suas opiniões *, como pode o país destes senhores encontrar-se no estado em que se encontra? Qual é o real valor, a credibilidade e o reconhecimento internacional destes senhores tão bem pagos e que andam há tantos anos "por aí" na vida política e empresarial portuguesa? (estas "dúvidas" estendem-se aos administradores executivos que sempre farão um pouco mais que assistir a reuniões e mandar "palpites"... e por isso sempre ganharão um pouco mais...)

* na verdade as empresas que pagam estas generosas quantias a certos senhores para estarem quietos e irem a algumas reuniões, preferem que eles estejam calados e se limitem a utilizar os seus contactos no interesse das mesmas nas alturas devidas. Igualmente esperam que estes senhores sejam capazes de fazer aprovar discretas leis na AR que sirvam os interesses das ditas empresas. Nada que deia muito nas vistas, portanto.

** Depois há aquela coisa portuguesa concerteza chamada "bloco central" (BC), que é basicamente um cancro que tem corroído o país. Quando ganha o partido x do BC, os seus boys vão para administradores executivos e os dos partidos y e p (que diz não ser do BC mas não somente foi para o governo com o partido y como demonstrou ser especialmente corrupto) para não executivos; quando ganha o partido y (eventualmente coligado com o p) os senhores do partido x passam a não executivos (exceptuando uns poucos que se dão bem com todos e ficam sempre como executivos...). Assim todos comem continuamente e o BC adquire um prolongado seguro de vida.


Mais um que mata "ex-companheira"

Não aceitou a separação e disparou com caçadeira sobre a ex-companheira. Criança de oito anos assistiu a tudo e foi a correr chamar a GNR. correiodamanha.pt, 16 Abril

Nota: esta vergonha portuguesa não parará enquanto não forem feitas leis especiais que penalizem a triplicar ou a quadriplicar estes criminosos.


Supermercado de histórias manhosas

A vida de José Sócrates está cada vez mais parecida com aqueles anúncios antigos do Pingo Doce que diziam: "Frango congelado com ervilhas a 2 euros e 35 cêntimos. Esta semana, só no Pingo Doce." Com o nosso primeiro-ministro dá para fazer a mesma coisa. Por exemplo: "Apoio de Luís Figo ao primeiro-ministro por 750 mil euros. Esta semana, só em Portugal."

E da mesma forma que na semana seguinte o frango dava lugar à pescada e as ervilhas à batata cozida, o apoio de Luís Figo pode ser substituído pelo mais recente detalhe do processo Face Oculta que tenha saído do forno, ou qualquer um dos 937 casos duvidosos em que o nome do primeiro-ministro esteja envolvido.

Sócrates é hoje um supermercado de histórias manhosas, onde cada um de nós pode pegar na sua favorita, levar para casa e consumir ao jantar. João Miguel Tavares, correiodamanha.pt, 16 Abril

Labels: ,

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr