2004/09/16

VIAGEM AO SÉCULO VINTE




Vou indicar-vos alguns cd's de excepção (quase todos em edições económicas) de obras que determinaram a história da cultura do século XX e continuam a ser parte imprescindível do nosso presente.






A Brilliant Classics oferece-nos um estojo com 4 cd's que contém a gravação da obra integral de Ravel para orquestra. A direcção é do grande maestro Eliahu Inbal e a interpretação do Côro e Orquestra Nacional de França. Cerca de 15 (quinze) euros os 4 cd's.





Décima Sinfonia de Mahler, versão Deryck Cooke, pela Bournemouth Symphony Orchestra dirigida por Simon Rattle. Edição Hmv que em portugal suponho ser a Emi. Este cd custou-me cerca de 5 libras irlandesas (foi antes do euro...). Suponho que por cá se pode encontrar em re-edição económica da Emi, eventualmente a um preço mais "interessante". Uma obra impressionante sob a batuta de um director genial.
Genial também é a interpretação da 6ª Sinfonia pela Cleveland Orchestra dirigida por George Szell. Na "essential classics" da Sony por cerca de 6 euros. Nesta colecção existe também a 4ª dirigida pelo mesmo Szell. Atenção que esta colecção acabou e deu lugar a outra com as mesmas obras mas a preços substancialmente mais elevados!






De Scriabin as sonatas 2 e 5 pelo genial Sviatoslav Richter. O mesmo cd contém alguns estudos de Chopin, assim como alguns nocturnos e a Polonaise nº 7. Cerca de 8 euros. A etiqueta é Praga/Le Chant du Monde.






Karol Szymanowski por M. Wesolowski (piano). Masques op. 34 e 4 mazurkas op. 50. Oito euros numa edição da Pianovox/Agon. O compositor polaco até agora esquecido pelo ocidente é um pioneiro inspirado que se afasta da tradição tonal.





Concerto para violino de Alban Berg e concerto para piano de Schoenberg. O primeiro por Zvi Zeitlin no violino, o segundo com Brendel ao piano suportados pela Bavarian Radio Symponhy Orchestra dirigida por fabuloso Rafael Kubelik. Colecção Eloquence da Universal que agrupa a Deutsche Grammophon, a Decca e a Phillips. Comprei este cd por menos de 5 euros mas por cá será substancialmente mais caro.




Arnold Schoenberg: Verlarte Nacht e Pelléas et Mélisande numa impressionante leitura do prematuramente desaparecido Giuseppe Sinopoli, um dos grandes directores do século vinte. Com a Philharmonia Orchestra. A mesma colecção e o mesmo comentário ao preço.




Pelo mesmo Sinopoli à frente da Wiener Philharmoniker com Deborah Voigt (soprano) e Bryn Terfel (baritono), temos a Lyrische Symphonie de Alexander Zemlinsky. As cordas desta formação possuem uma luminosidade única no mundo que sob direcção deste maestro de génio e talento produziram uma gravação para a história. Infelizmente não creio que exista uma re-edição económica.



A 8ª Sinfonia de Dimitri Shostakovich é um monumento sinfónico da música do século passado e é uma obra indispensável em qualquer discoteca. Seguramente que já existe em re-edição económica na já referida colecção eloquence da Universal pois a Decca gravou-a sob batuta de George Solti e Bernard Haitink. Qualquer um deles nos dá uma visão grandiosa desta obra maior.



Prokofiev, concertos para piano e orquestra 1 e 3. Bela Bartók, concerto nº3. Um registo fabuloso destas obras fundamentais da literatura musical. A pianista é uma das maiores de sempre: a argentina Marta Argerich. O director é Charles Dutoit à frente da Orquestra Simfónica de Montreal. Creio não existir em edição económica.




A entrada na contemporaneidade fazêmo-la pela mão do genial Luigi Nono. "Como una ola de fuerza y luz", composta em 1971/2 para soprano, piano orquestra e banda magnética é uma impressionante e emotiva obra do grande criador. Slakva Taskova é a soprano, Mauricio Polini o pianista. Symphonie-Orchester des Bayerischen Rundfunks dirigida por Claudio Abbado.
"...sofferre onde serene..." de 1976 para piano e banda magnética com o mesmo Pollini no piano e "Cantrappunto dialettico alla mente" para banda magnética também estão no mesmo cd que é fundamental numa discoteca. Colecção 20th Century Classics da Deutsh Grammophon.





Um trabalho inteligente e talentoso com vozes foi feito por Luciano Berio em "A-Ronne" e "Cries of London". Colecção Enterprise da Decca.





Bernd Alois Zimmermann (1918-1970) na Hans Zender Edition (vol.10) da cpo (classic produktion osnabruck) é um registo elucidativo da obra deste compositor. Evidentemente o maestro é Hans Zender.






Études, Books I and II. Os fabulosos estudos para piano de Gyorgy Ligeti numa belíssima interpretação de Idil Biret. Edição Naxos a preço Naxos.






Jorge Peixinho. Um compositor que marcou toda a segunda metade do século vinte português e que não teve a projecção mundial que merecia. Sobreposições, Políptico e Sucessões Simétricas para orquestra. Uma interpretação da Orquestra Sinfónica de Budapeste sob batuta de András Ligeti. Três obras que nos revelam o génio de talento e musicalidade que foi este português. Uma edição da Portugalsom que se pode encontrar em promoções a um preço "muito em conta".






Constança Capdeville. Uma portuguesa que em "Libera me", "Amen para uma ausência" e "... in smno pacis (one for nothing)" revela uma sensibilidade e uma intuição só alcance de poucos criadores. A mesma etiqueta, o mesmo comentário ao preço.








De Wolfgang Rihm "Étude d'après Séraphin" é uma obra impressionante e paradoxal que foi editada pela Wergo, edition zkm.







Uma ópera contemporânea de enorme interesse: MedeaMaterial de Pascal Dusapin. Hilde Leiland, soprano. Orchestre de la Chapelle Royale dirigida por Phillippe Herreweghe. Uma ópera "contemporâneo-barroca", materializada pelos instrumentos antigos desta conhecida formação. Colecção Musique Française D'Aujoud'Hui, série Suite da Harmonia Mundi. AT
















e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr