2005/12/09

OBRAS SINFÓNICAS DE PROKOFIEV

Depois de serem tecidas considerações pouco edificantes em relação a algumas obras deste criador, o mínimo que se pode fazer é fornecer algumas referências aos leitores no sentido de as escutarem em "interpretações-paradigmáticas".

A colecção The Royal Philharmonic Orchestra registaram a primeira sinfonia. A fabulosa orquestra inglesa sob direcção do grande maestro Yuri Simonov traz-nos a leitura possivel desta obra pouco empolgante. Mas o mesmo cd inclui excertos das suites Romeu e Julieta, numa interpretação espantosa, talvez a mais impactante, de uma obra inspirada, depositária de uma escrita orquestral exímia.
Já a Symphonic Suite op 60, intitulada Liutenant Kijé, que também está incluída neste cd dotado de uma qualidade sonora suprema e com um preço que ronda os cinco euros, se fica pelos lugares comuns que o compositor insistiu em revisitar ao longo de toda a sua vida.

A colecção Russian Legacy, por um preço semelhante, traz-nos a integral da Suite nº2 da mesma obra Romeu e Julieta, numa interpretação do histórico Evgeny Mravinsky à frente da Leningrad Philharmonic Orchestra. A quinta sinfonia, que também vem neste cd, é interpretada sob direcção de Yuri Temirkanov que recentemente tivémos oportunidade de escutar em Portugal exatamente à frente da mesma orquestra. Dois registos "live", gravados em 1981 e 1988, respectivamente, que também nos oferecem um Prokofiev no mais elevado estilo.

Dos concertos para violino e orquestra já falámos mais abaixo. Quanto aos concertos para piano a "referência-absoluta" são, evidentemente, as interpretações de Martha Argerich. Infelizmente não existe, nem se prevê que venha a existir brevemente, uma re-edição económica daquelas interpretações geniais. AST

















IDA HAENDEL INTERPRETA SIBELIUS

Ida Haendel foi uma das grandes violinistas do século passado. Estranhamente, talvez porque fosse uma mulher num mundo de homens ou porque tivesse casa e filhos para cuidar(...), os seus registos são uma raridade. De facto só me recordo de dois registos desta intérprete de excepção.

Um deles encontra-se disponível na série encore da Emi, com um custo que varia entre os 5 e os 6,5 euros, no qual Ida interpreta obras de Sibelius, entre as quais o célebre concerto para violino.

Trata-se de uma gravação de 1975 em que a volinista é acompanhada pela Bournemouth Symphony Orchestra dirigida por Paavo Berglung.

Ao Concerto para Violino op 47 seguem-se as Serenatas 1 e 2, op 69a e 69b, respectivamente, e a Humoreske nº5, op 89 nº3.

Ida Haendel é uma artista dotada de uma enorme sensibilidade que, conjugada com uma técnica excepcional, nos oferece "interpretações-paradigma" destas obras, apesar da qualidade sonora do registo ser a melhor possivel nos anos 70, fraca se comparada com o que se consegue nos dias de hoje, mas suficentemente nítida para se poder disfrutar das interpretações de uma das maiores violinistas de todos os tempos acompanhada por um grande chefe-de-orquestra que se apresenta à cabeça de um agrupamento de excelência AST
















e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr