2007/10/19

Portuguese didn't tape any McCann interviews

Eis o tema central do Lite-London de 25 de Outobro de 2007*. A ser verdade, venham outra vez insinuar que Portugal anda a ser perseguido pela imprensa inglesa... E pelo resto do mundo que evidentemente recebe ecos, ou mais que ecos, destas "curiosidades portuguesas"... entre elas o facto de somente depois de acontecerem mortes terem decidido colocar placas a avisar da perigosidade de algumas praias em zonas que vivem principalmente do turismo... ou do ignorado controlo aos pilares de uma ponte que posteriormente desabou causando a morte a mais de 50 pessoas...

* no dia seguinte o tema do referido jornal voltou a ser o mesmo mas numa vertente totalmente hilariante: os detectives portugueses filmaram, secretamente, as longas entrevistas feitas a ambos os McCann, mas esqueceram-se de activar a entrada de som... Agora contrataram especialistas para tentarem ler os movimentos labiais dos suspeitos... Claro que aproveitando toda a trapalhada e incapacidade dos portugueses foi posta a circular em todo o mundo a imagem, desenhada, do "verdadeiro" suspeito que, note-se, os portugueses impediram ser divulgada antes: cabelo negro e aparentando ser do sul da Europa. Tal "comme il faut"...


Fim à impunidade nas escolas portuguesas

...o procurador-geral da República diz que a impunidade nas escolas tem de acabar... in http://sol.sapo.pt (20 Outobro 2007)

Se não acabarem, definitivamente, com o regime de impunidade protector dos pequenos malfeitores que insultam e agridem os professores, que não aprendem nem deixam os colegas aprender, que instauram a lei do mais forte e o vale-tudo nas escolas, Portugal vai ser ainda mais pobre, vai divergir muito mais da média comunitária, vai ver a criminalidade aumentar e vai perder a pouca competitividade que ainda possui. O resto é show-off e folclore para estrangeiro ver.


Tratado de Lisboa

"Cerca de 2,1 milhões de portugueses (19 por cento da população) estão em situação de pobreza monetária", ou seja, vivem com rendimentos mensais, por pessoa, inferiores a 360 euros. "Destes, quase 1,4 milhões (13 por cento da população) vivem com rendimentos abaixo de 300 euros por adulto". E ainda dentro destes, "cerca de 740 mil (sete por cento) têm menos de 240 euros por mês". São José Almeida in Público, 20 Outobro 2007, pag 42


O verdadeiro liberalismo

Se os milhares de funcionários de um banco pedirem aumentos, dir-se-á que o banco perde competitividade. Se um cliente não pagar a prestação do empréstimo, o banco fica-lhe com a casa. Se o Estado quiser aumentar impostos sobre os lucros da banca, responde-se que os prejudicados serão os clientes com os gastos que o banco terá de ir buscar "a algum lado". Mas para aumentar executivos e perdoar dívidas a familiares ou sócios, as premissas são as opostas. Rui Tavares in Público, 18 Outobro 2007, pag 52


Se tivessem vergonha...

E, só para dar dois exemplos, se Joe Berardo fizesse um leilão de uma parte da sua colecção para criar um fundo de luta contra a pobreza ou se Jardim Gonçalves abdicasse a favor dos pobres de uma parte substancial dos seus... recursos financeiros... talvez outros se sentissem envergonhados por nada fazerem e as coisas começassem a mudar. José Miguel Júdice in Público, 19 Outobro 2007, pag 45


Porque será?

"Em Espanha é tudo melhor. Num quilómetro a vida muda totalmente" in Jornal de Notícias (edição norte), 19 de Outobro de 2007, pag 27

Creio que a pessoa se refere à Galiza, que no passado foi uma das regiões mais pobres de toda a Península Ibérica...











e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr