2007/10/30

Eu avisei...

Aparentemente os McCann possuem mais "contactos" que Portugal (um país que funciona na base dos "contactos", dos "conhecimentos" e das "amizades"...) todo junto. Isso poderia ter sido torneado se tivesse ficado evidente aos olhos de todos a grande capacidade e profissionalismo dos investigadores portugueses. Foi exactamente o oposto que ficou claro. Agora bem podem chamar racista, ou o que mais lhes apetecer, ao sujeito que apelidou o embaixador de Portugal de "comedor de sardinhas" (a sua estúpida boca de comedor de sardinhas) e o mandou "levar no .." (up yours) porque isso será para exclusivo consumo interno, totalmente desprovido de qualquer impacto real. O sujeito escreveu igualmente que os portugueses que vaiaram o casal (cujos filhos e netos eventualmente insultam e agridem os professores) não são de outro país mas sim de outro planeta. Claro! São do planeta do insulto e do "disse que disse". Que direito lhes assistiu para vaiarem os suspeitos? Que sabem que possa ajudar a solucionar o caso? Provavelmente se soubessem calar-se-iam "para evitar chatices", não é verdade? Não passam de uns patéticos voyeurs que da tragédia alheia fazem show. Além da impressionante humilhação a que Portugal foi sujeito através de quem oficialmente o representa, pode vir a configurar-se uma situação em que alguém venha a ser crucificado para polir a imagem dos ingleses, no ponto a que as coisas chegaram. Não seria a primeira vez que os ingleses sacrificariam inocentes*. Quanto ao desaparecimento de Maddie acredito que os ingleses estão (quase) todos interessados em que se descubra a verdade. De resto, uma associação de utentes questionou se Gerry McCann não deveria se impedido de voltar a exercer as suas funções profissionais enquanto estiver na condição de suspeito. De facto Gerry vai ser monitorizado pelos colegas durante alguns meses, e os utentes se o solicitarem não serão atendidos por ele. Parecem recear que não os trate convenientemente... Quando as coisas lhes tocam os ingleses excedem-se em zêlos... que não tiveram com as jovens assassinadas pelos familiares (por questões de honra!), apesar de terem sido (bem) alertados pelas vítimas e por amigos delas... Adiante. Portugal parece ser largamente desprezado e eu duvido que seja unicamente devido ao caso McCann e aos recentes afogamentos. Esta irritação contra Portugal não parece vir de agora. Lembro-me, por exemplo, de uma entrevista, publicada em vários países, durante a qual J.K. Rowlings disse não estar interessada em falar da sua "experiência portuguesa" (ela viveu em Portugal e teve um namorado português...). Mas deixemos isso para a história. Na verdade, se voltar a acontecer alguma terrível injustiça será graças à tremenda incompetência dos portugueses e a imagem de Portugal ficará definitivamente degradada em todo o planeta. Por outro lado, se acontecer terem feito a vida negra aos McCann e vier a ser provado estarem inocentes, Portugal arrisca-se a perder muito mais que o "bom nome". O facto de eu crer, e muitos portugueses crerem, que os McCann são culpados vale o que vale, ou seja, rigorosamente nada. As amostras de dna poderiam, tal como tem sido constantemente assinalado, ter sido contaminadas. Os investigadores portugueses andaram de carro em carro (parece que tiverem um pequeno acidente com o carro do "arguido" Robert Murat!) quando deveriam ter selado imediatamente todas as viaturas utilizadas pelos suspeitos. E, tal como foi igualmente dito por especialistas ingleses, os pais de Maddie deveriam ter sido declarados suspeitos imediatamente após o seu desaparecimento pois, exactamente como os investigadores portugueses não se cansaram de repetir, os estudos demonstram que nestes casos, e nos de abuso de menores, os criminosos costumam ser familiares das vítimas. AST

* conheço o caso que todos conhecem: o dos jovens irlandeses que foram condenados por um atentado que não praticaram e mantidos presos mesmo depois das autoridades inglesas saberem que não tinham sido eles. Ver In the Name of the Father de Jim Sheridan. Um caso recente é o do cientista que supostamente se suicidou pressionado pela polémica da existência ou não de armas de destruição maciça no Iraque. Os ingleses demonstram ter duas faces: por um lado recusam ir a Lisboa por causa de Mugabe, que é concerteza um bandido, mas recebem com honras de estado o rei da Arábia Saudita... E não foi a ministra da cultura portuguesa que fez uma visita oficial a esse reino-pária, propriedade de uma família, onde os opositores são brutalmente reprimidos? Contabilizando tudo e tendo em conta que a Inglaterra ao contrário de Portugal tem poder, poderia ajudar a mudar o mundo para melhor mas na verdade tem andado a lixar meio mundo, quem deveria ir levar no .. é a rainha de Inglaterra e toda a porcaria da família real que vive de chular os ingleses e estrangeiros que trabalham em Inglaterra, pelos impostos, e chulam ainda toda a Comunidade Europeia pelos subsídios que a rainha (que é quem mais terras possui na Europa e por isso quem mais apoios consegue) leva anualmente. .... ... ma'am.


"OH, UP YOURS, SENOR

Tony Parsons 29/10/2007

Portugal's ambassador to Britain, Senor Antonio Santana Carlos, says that the Madeleine McCann case has seriously damaged relations between the two countries. Well, whose fault is that?
It is the fault of the spectacularly stupid, cruel Portuguese police. I have never much cared for the convention of calling cops "pigs" or "filth", but I am happy to make an exception.
They have tried to cover their humiliation at coming nowhere close to finding that stolen child by fitting up her parents.
The decline in relations is also the fault of the appalling Portuguese media, happy to print any piece of poisonous trash spoon-fed to them by "police sources" treating the abduction of a small child as light entertainment.
And the Portuguese public must also take their share of the blame. The sight of locals jeering at Kate McCann as she went in for questioning made me feel as though these leering bumpkins were not from another country, but another planet.
And the good ambassador can also be blamed for the decline in relations.
When he should be exercising a little diplomacy, he huffs and he puffs about the McCanns' tragic decision to leave their children sleeping alone on the night Madeleine was stolen.
"In Portugal we have the concept of a nuclear family," sniffs Senor Carlos. "That the families all live together."
They made a mistake, ambassador. Their lives have been wrecked. That is punishment enough, without your asinine, unwanted comments.
And I would respectfully suggest that in future, if you can't say something constructive about the disappearance of little Madeleine, then you just keep your stupid, sardine-munching mouth shut." in http://www.mirror.co.uk/















Labels:

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr