2005/03/02

BIRMINGHAM CONTEMPORARY MUSIC GROUP EM LISBOA


Foi no dia 28 de Fevereiro no Auditório Gulbenkian que este "ensemble" constituído por músicos de excepção interpretou, sob a direcção precisa e talentosa de Susanna Mälkki, obras de David Sawer, Stuart MacRae, Harrison Birtwistle, Luis Tinoco e Thomas Adès.

Infelizmente não ouvimos a obra de Sawer mas a de MacRae, Two Scenes from the Death of Count Ugolino (para ensemble e meio soprano) é uma obra não só interessante como de uma inteligência construtiva e de uma musicalidade fabulosas a que a "mezzo" Loré Lixenberg fez plena justiça.

Ritual Fragmente de Harrison Birtwistle é uma obra dentro da estética teatralizante do compositor que não deixa por isso de ser musicalmente interessante.

Hovering Over de Luis Tinoco é um exercício com base em sucessões de acordes arpejados. Estruturalmente muito simples produz um efeito sonoro com alguma espectacularidade. Algo dentro do mesmo registo do que escutamos anteriormente do mesmo autor.

Living Toys de Adès continua na senda simplista deste autor que já é um clássico da música inglesa. E é-o exatamente porque nasceu em Inglaterra (nos Eua só teria de escrever algo ainda mais simples e seria igualmente consagrado). Em França provavelmente não comporia assim pois arriscava-se a nem sequer ser tocado e se fosse em Portugal talvez nunca tivesse passado dos concertos de escola. Vantagens de nascer num país com influência mundial, dotado de políticas para a cultura e que (não por acaso) sempre rejeitou o legado serial e post-serial: cada dia são interpretadas obras de Adès em algum lugar do mundo. Ast










e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr