2010/02/25

Um erro chamado Timor?

Fui daqueles que há anos sairam à rua, repetidamente, exigindo que a comunidade internacional libertasse Timor das garras dos criminosos indonésios.

Quando leio na primeira página do pasquim Metro que Ramos Horta - um dos que mais beneficiaram com a independência de Timor sendo o seu actual Presidente da República - afirmou que a China é soberana no Tibete, só me ocorre dizer que se um dia Timor voltar a estar sob o jugo de seja quem fôr não mexerei uma simples palha.


Um código penal pervertido

Ontem li nas páginas de outro pasquim que um sujeito atropelou (matando) deliberadamente um homem que seguia de motorizada (o criminoso fez marcha-atrás propositadamente para atropelar o motociclista que provavelmente reconheceu quando o ultrapassou), tendo o juiz, ou juíza, libertado o assassino (naquela modalidade de suaves apresentações semanais no posto da PSP, ou GNR, da área da residência).

Eu acho isto um atentado à inteligência e acho que o actual código penal não passa de um peça pervertida (imensamente divertida para toda a bandidagem) que favorece toda a espécie de criminosos.

Labels: ,

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr