2004/11/30

ENSEMBLE CONTRECHAMPS INTERPRETA HOLLIGER


Heinz Holliger, tal como nos diz na entrevista, tem uma especial predilecção pela voz humana.

Puneigä, para percussão, ensemble e soprano são Dez Lieder sobre poemas de Anna Maria Bacher, constituindo uma interessante e conseguida obra em que Holliger dá asas à sua capacidade criativa sob inspiração da poesia de Bacher que é de uma beleza digna de servir de fonte a criadores de génio. Uma obra da fase criativa actual de Holliger absolutamente distânciada de qualquer vestígio serializante, numa interpretação exímia do grupo suiço sob direcção do autor que o público ovacionou longamente pois (pre) sentiu que é uma criação maior de um vulto grande da arte contemporânea.
O mesmo se passou com Romancendres obra para violoncelo e piano apresentada pelo mesmo ensemble no dia 30 e inspirada nas partituras de Schumann que Clara queimou para o proteger de acusações de loucura pelos académicos e críticos de serviço. Das partituras nem as cinzas restaram. Alguns melómanos mais exaltados não se cansaram de gritar bravos. Merecidos. AST















e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr