2005/10/13

KILOMÈTRE ZÉRO

É neste caso irrelevante que hajam algumas falhas de montagem. Não podemos é deixar passar despercebido este filme de Hiner Saleem que a Festa do Cinema Francês trouxe a Portugal.
Trata-se de um belíssimo filme onde de alguma forma podemos conhecer o Iraque "profundo". Na verdade o Curdistão... As suas paisagens incríveis e alguns dos seus habitantes.
É um trabalho que nos coloca face à "questão curda" à qual a "Europa" fechou sucessivamente os olhos (e os ouvidos). E assim parece que irá continuar a ser, uma vez que já iniciou as negociações de adesão com um país que dizimou dezenas de milhares de curdos e que os continua a discriminar e a martirizar (a partir de agora têm de se usar aspas cada vez que se fale em "comunidade europeia" pois "ce" e "ue" podem vir a significar europa e parte do médio oriente...).
É "pedagógico" escutarem-se, no filme, as rádios curdas que apelam, em desespero de causa, para que a tal europa dos direitos e das liberdades intervenha militarmente para pôr fim à mortandade. Sem resultado. A chacina conduzida por Sadam e pelo "químico" aproximava-se do número redondo 200.000
Actualmente é fácil e é moda ser-se anti-americano e dizer-se que a intervenção norte-americana no Iraque se deveu exclusivamente ao petróleo. Sem dúvida. Sabe-se agora que também devido ás vozes que o presidente Bush ouviu... Vozes que lhe diziam ter uma missão...
Mas a outra grande verdade que a história não apagará é que a "Europa" e os seus "militantes", que andam sempre em confrontos seja porque causas sejam, ignorou e contribuiu para o silênciamento do genocídio curdo conduzido em nome da "grande e eterna nação árabe". Que o regime de Sadam garantia a "estabilidade" necessária à Elf francesa para a exploração das enormes concessões petrolíferas que possuia naquele tempo. Que afinal de contas o regime de Sadam era protector-protegido da França. Tal como acontecia com os Eua e a Grã-Bretanha. AST


É verdade que Saddam levou a cabo todas essas atrocidades, desenvolvendo armas de destruição maciça... mas com o nosso apoio. Noam Chomsky in Iraque-Assalto ao Médio Oriente, Antigona, Lisboa, pag. 107










La junte militaire règne sur la Birmanie depuis 1962...
Incultes, obscurantistes, corrompus, ivrognes, les généraux sont dirigés par le plus puissant d'entre eux, le général Thawn She.
... vive dans une paranoïa total, entouré d'astrologues et de geomaciens. Si rustre qu'il se refuse catégoriquement à s'exprimer en public, sauf pour lire des discours écrits préalablement... Charlie Hebdo, 10 août 2005, páginas centrais


Total en Birmanie: la France met du gaz dans son vin
Travail forcé, déplacement de populations, exactions de l'armée dans la région karen: la construction du gazoduc dans le sud du pays a mis Total dans l'embarras, pas suffisamment pour renoncer à cette affaire juteuse... idem











Harold Pinter o Nobel

Born 10 October 1930 in East London, playwright, director, actor, poet and political activist.
Pinter has written twenty-nine plays including The Birthday Party, The Caretaker, The Homecoming, and Betrayal, twenty-one screenplays including The Servant, The Go-Between and The French Lieutenant's Woman, and directed twenty-seven theatre productions, including James Joyce's Exiles, David Mamet's Oleanna, seven plays by Simon Gray and many of his own plays including his latest, Celebration, paired with his first, The Room at The Almeida Theatre, London in the spring of 2000. in www.haroldpinter.org
He has been awarded the Shakespeare Prize (Hamburg), the European Prize for Literature (Vienna), the Pirandello Prize (Palermo), the David Cohen British Literature Prize, the Laurence Olivier Award and the Moliere D'Honneur for lifetime achievement. In 1999 he was made a Companion of Literature by the Royal Society of Literature. He has received honorary degrees from fourteen universities.
Pinter's interest in politics is a very public one. Over the years he has spoken out forcefully about the abuse of state power around the world, including, recently, NATO's bombing of Serbia. His most recent speech was given on the anniversary of NATO'S bombing of Serbia at the Committee for Peace in the Balkans Conference, at The Conway Hall June 10th 2000. in www.haroldpinter.org















e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr