2007/11/13

Integral das sinfonias de Sibelius

Los Angeles Philharmonic, dirigida por Esa-Pekka Salonen, apresentou em quatro concertos no Barbican a integral das sinfonias de Sibelius. Salonen, esperadamente, fez uma leitura clara e imaginativa do seu contemporâneo mas foi a surpreendente excelência da orquestra americana o que mais impressionou. Salonen, no concerto de 1 de Novembro, apresentou a sua obra Wing on Wing e o meu conselho é que continue a ser um bom chefe de orquestra em vez de ser um mau compositor a vaguear por lugares desprovidos de originalidade e interesse. Já de Quatre Instants, para soprano e orquestra da compositora Kaija Saariaho, interpretada no concerto de 9 de Novembro, devo dizer que é uma obra inspirada e interessante na linha estética que a criadora tem vindo a desenvolver ao longo da sua carreira. Na voz tivemos uma fantástica Karita Mattila que soube investir toda a emoção que esta obra exige. A sala, esgotada, aplaudiu de pé. No concerto de 2 de Novembro tinha sido interpretada Radical Light, criação dotada de uma orquestração notável, do compositor Steven Stucky. Já que estamos a falar de obras contemporâneas devo referir o concerto de 27 de Outobro, no mesmo local, onde Anne-Sophie Mutter com a London Symphony Orchestra, dirigida por André Previn, interpretaram In tempus praesens (Violin Concerto No 2), de Sofia Gubaidulina, obra emotiva e forte que levantou das cadeiras o público que enchia a sala. Livios Pereyra


Mas que rico país...

Deputados vão gastar 18 mil euros por dia em deslocações. in Destak, 13 Novembro de 2007

Em época de contenção orçamental, e com a administração pública sujeita a restrições na aquisição de viaturas novas, por indicação do Decreto de Execução Orçamental para 2007, o ministro da Justiça acaba de comprar cinco automóveis topo de gama. O negócio, sem incluir o imposto automóvel (IA), de que as instituições públicas estão isentas, rondou um valor global de quase 176 mil euros (35 mil contos) e foi por ajuste directo, sem recurso a concurso público...

...um dos contemplados com um novo carro de alta cilindrada foi o presidente do IGFIEJ, com um Audi Limousine 2.0TDI, de 140 cavalos. Esta viatura, sem o IA, custou ao Estado 38 615,46 euros, com 2831 euros de equipamento opcional, nomeadamente caixa de 6 CD, computador de bordo a cores, sistema de navegação plus, sistema de ajuda ao parqueamento, alarme e pintura metalizada. Antes, João Manuel Pisco de Castro tinha ao seu dispor um outro Audi A6, com motorista de serviço, e um Peugeot 404, que conduzia pessoalmente. Estas viaturas tinham sido adquiridas em 2003. Mas também quatro Volkswagen Passat Limousine 2.0TDI - 34 257,40 cada -, foram para o Ministério: um para o gabinete de Alberto Costa, outro para o secretário de Estado João Tiago Silveira, outro para Conde Rodrigues, e o último para a secretaria geral.

O Ministério da Justiça, conforme foi explicado ao DN, recorre geralmente, para o seu serviço e inclusivamente para uso do ministro, a viaturas aprendidas, a maior parte oriunda do tráfico da droga. São, em geral, bons carros. Esta prática terá sido abandonada em época de contenção financeira. in http://dn.sapo.pt (2007/11/13)


E não é verdade?

Se os artistas se recusarem a pagar as sanções devem mesmo ser detidos, defendem os advogados. Os acusados foram autores de uma caricatura publicada como forma de satirizar o anúncio, por parte do Governo de José Luís Rodriguez, de que cada família iria receber 2500 euros de cada vez que tivessem um filho.

No cartoon aparece retratado Felipe e Letizia a terem relações sexuais, enquanto o príncipe diz: «Estás a ver? Se engravidares… isto vai ser o mais parecido a trabalhar que eu fiz na vida!». in http://sol.sapo.pt (3a-feira, 13 Novembro)









Labels: , ,

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr