2009/09/09

Maddie: no país de todas as censuras

A 13ª Vara Cível de Lisboa deferiu hoje a providência cautelar apresentada pelo casal McCann, pais de Maddie – desaparecida na praia da Luz em Maio de 2007 – no sentido de proibir a venda do livro de Gonçalo Amaral, ex-inspector da Polícia Judiciária, que defende a tese de que seriam os pais os responsáveis pelo desaparecimento e morte da criança.

O livro Maddie – A Verdade da Mentira não pode ser vendido a partir de hoje, e todos os exemplares que haja em banca ou armazém deverão ser recolhidos.

O tribunal decidiu também acolher o pedido do casal McCann de proibir a distribuição do filme com base no mesmo livro, que chegou a ser exibido pela TVI.

O tribunal intima a Valentim de Carvalho e a Guerra e Paz a recolherem todos os livros que ainda tenham para venda nas livrarias, proibindo-as de cederem para outros países os direitos de exibição do vídeo e de venda do livro.

Segundo a mesma decisão, as editoras não podem publicar estes ou outros livros ou vídeos que defendam a mesma tese.

Por fim, proíbe Gonçalo Amaral de fazer declarações sobre o conteúdo do livro ou do vídeo. in sol.pt, 9 Setembro 2009

Nota: eu pessoalmente também acredito que Maddie não está viva e que foram os pais os responsáveis pelo seu desaparecimento. Mas isto não passa de uma "crença" minha, pois nem sequer li o livro de Amaral. Penso, e isto já não será propriamente uma crença, que os McCann não demonstraram grandes escrúpulos ao fazerem dinheiro à custa do desaparecimento da filha. Todo o "caso Maddie" foi atroz e tenebroso, mas é simplesmente vergonhosa a maneira como Portugal diz "amen" aos britânicos (e a todos...)! Depois da incompetência total nas diligências de investigação e na perservação do local do desaparecimento, assim como dos veículos utilizados pelos McCann (que não foram logo declarados suspeitos...), incompetência que possibilitou e alimentou a sistemática desacreditação das teses de Amaral, levada a cabo pela eficiente e muito profissional "máquina" criada pelos McCann, só faltava o lambe-botas...

Já agora: será que se pode vislumbrar alguma ligação entre o atraso da investigação sobre fluxos, para offshores, de dinheiro relacionado com o caso Freeport, investigação a cargo do Serious Fraud Office que é dependente do governo de Brown, da mesma família política do governo de Pinto de Sousa, e esta decisão do tribunal português? É que os McCann são amigos do Gordon Brown...


A máquina de fazer $$$ não pára

Londres, 09 Set (Lusa) - A família McCann continua a exigir o pagamento de uma indemnização de pelo menos 1,2 milhões de euros ao ex-inspector da PJ Gonçalo Amaral pelas suas declarações consideradas difamatórias a propósito do desaparecimento de Madeleine.

"Estamos a pedir 1,2 milhões de euros de indemnização neste momento, mas reservamos o direito de rever este número em alta à medida que forem encontradas mais provas sobre os lucros que foram feitos com este livro", disse hoje à Agência Lusa o advogado da família, Ed Smethurst. Lusa, 09 de Setembro de 2009, 15:45


English Translation

Labels: , , , ,

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr