2008/06/18

Belos tachos

Um dia li uma entrevista em que o ex-presidente Jorge Sampaio dizia não ter saudades da vida política. Imagino... Com uma bela reforma, com direito a carro, motorista e secretária pagos pelo Estado, claro que não tem saudades. E, para matar a monotonia da vida de reformado - e ganhar mais uns trocozitos - para além de Alto Representante da ONU aceitou ser administrador não executivo da Partex...


Este é que não faliu

“O antigo PR Jorge Sampaio é administrador não executivo da Partex, soube hoje o DN. A Partex é uma holding da Fundação Calouste Gulbenkian ligada às áreas do petróleo e gás, estando o Alto Representante da ONU para o Diálogo das Civilizações ligado à primeira”. MCF no DN d’hoje. Citizen Nos comentários em educar.wordpress.com, Junho 16, 2008 at 8:14 pm


Santiago de Chile

Los profesores chilenos, en paro indefinido desde este lunes en rechazo al proyecto de una nueva Ley General de Educación (LGE), llevaron hoy sus protestas al interior del Palacio presidencial de La Moneda. Actualizado 17-06-2008 20:05 CET

E isto é ainda mais importante pelo facto de ser no Chile que o Governo se inspirou para avançar com o seu inenarrável projecto de avaliação dos professores. In ocartel.blogspot.com, 17 de Junho, 9:57PM


Show off

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, rejeitou hoje no Parlamento o pedido da oposição conservadora para que declare «morto» o Tratado de Lisboa, após a rejeição dos irlandeses ao texto.

Na sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro na Câmara dos Comuns, Brown disse que o Governo de Dublin solicitou mais tempo para analisar como responderá ao «não» dos eleitores da República da Irlanda no referendo realizado a 12 de Junho.

«Assim como respeitamos os irlandeses, deveríamos respeitar outros países» que realizam o processo de ratificação, disse o chefe do Governo britânico.

«E talvez devessemos também respeitar a Câmara, que também votou pela ratificação do tratado», respondeu Brown, face à insistência do líder conservador, David Cameron, para que o Governo trabalhista declare que o tratado está «morto».

«Se quer mostrar que o Partido Conservador mudou realmente, por que não muda a posição e apoia a UE?», perguntou.

«Nós estamos a favor da Europa, e vamos trabalhar por uma UE que ajude o Reino Unido», acrescentou.

Ainda hoje, a Câmara dos Lordes (alta) realizará a terceira e última leitura do Tratado de Lisboa, antes que seja sancionado pela rainha Isabel II. O Partido Conservador tinha pedido, antes do "não" irlandês, que fosse convocado um plebiscito no Reino Unido sobre o Tratado de Lisboa, mas, com a rejeição da Irlanda, os "tories" estão a favor de que o Reino Unido não ratifique o texto. O Governo trabalhista defendeu o tempo todo que não convocaria um plebiscito, por considerar que o Tratado de Lisboa é um texto diferente da Constituição Européia, rejeitada pelos eleitores franceses e holandeses em diferentes consultas. In diariodigital.sapo.pt, 18-06-2008, 16:24

Comentário: quem fala assim não é gago! Como todas as sondagens indicam que Brown perderá as eleições para Cameron, é porreiro (pá!) assinar o Tratado e deixar a batata quente na mão do senhor que se segue. Bem... se o Tratado chegar a batata quente...


RECITAL EM HOMENAGEM A GUILHERMINA SUGGIA (1885-1950), NO DIA DO 123º ANIVERSÁRIO DO SEU NASCIMENTO

Alexei Eremine- piano

Carolina Matos - violoncelista

Irene Lima - violoncelista

Miguel Fernandes- violoncelista

Paulo Gaio Lima - violoncelista

Ramon Bassal - violoncelista

Interpretarão obras de J. Brahms, L. Freitas Branco, R. Glière,
Krummer, Baden-Powell e K-ximbinho.

FÁBRICA BRAÇO DE PRATA

SALA NIETZSCHE

27 de JUNHO de 2008 - 22 horas

Morada: Rua da Fábrica do Material de Guerra, nº1

Lisboa (em frente aos Correios do Poço do Bispo)

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr