2008/06/06

A GRANDE (des)ILUSÃO À BEIRA DO FIM

The Irish are the voice of all citizens of Europe

We are free and proud citizens of free and sovereign European countries. We, and our possessions, can move freely throughout the other sovereign European countries. We don’t need to be citizens of a single, and militarily powerful, federative state called Europe. WE DO NOT WANT TO BECOME CITIZENS OF THE UNITED STATES OF EUROPE. What makes Europe great is not the uniformity of Europeans but rather their diversity and differences.
In notolisbontreaty.blogsome.com

Graças ao Durão, claro...

Barroso warns we'll all pay price if Lisbon rejected

Ireland and the rest of Europe will ‘pay a price' if they vote ‘No' to the Lisbon Treaty referendum, stressed European Commission President Jose Manuel Barroso last night. Pat Holland In theirishworld.com, 27/05/08


Portugal «obrigado a devolver milhões»

A Comissão Europeia quer que o Governo português devolva os apoios comunitários concedidos a todos os concursos públicos de fornecimento de tecnologias de informação realizados através da central de compras do Estado, pela maior parte do tempo em que vigorou o QCA III, refere a imprensa.

De acordo com o jornal Público desta sexta-feira, Bruxelas considera que os contratos de fornecimento de um período que vai de Fevereiro de 2002 a Fevereiro de 2006 são «irregulares».

O QCA III (3º Quadro Comunitário de Apoio) vigorou de 2000 a 2006. A identificação dos montantes e dos concursos em causa «está a ser apurada, mas apenas uma estimativa parece ser consensual: a administração central compra, pelo menos, 100 milhões de euros em tecnologias de informação anualmente», refere o jornal. In diariodigital.sapo.pt, 06-06-2008, 7:56


65%

Lisboa, 06 Jun (Lusa) - A população desempregada aumentou 65 por cento em cinco anos, passando de um total de 270,50 mil indivíduos, em 2002, para 448,60 mil, em 2007, segundo "O País em Números" do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A taxa de desemprego passou assim de 5 por cento, em 2002, para 8 por cento, cinco anos depois, refere a edição deste ano de "O País em Números".

Esta evolução verificada nos últimos anos começou a denotar alguma tendência de inversão no primeiro trimestre deste ano, com a taxa de desemprego a situar-se nos 7,6 por cento, menos 0,8 pontos percentuais que nos primeiros três meses de 2007.

Esta descida da taxa de desemprego, em termos homólogos, foi a mais acentuada desde 2000.

De acordo com a edição do INE, o aumento do desemprego afectou tanto os homens como as mulheres, apesar do desemprego atingir mais o sexo feminino com um peso no total da população desempregada de 56 por cento, em 2002, e de 57 por cento, em 2007.

No período em análise (2002-2007), o desemprego aumentou 68,8 por cento, no caso das mulheres, e 62,1 por cento, no caso dos homens.

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr