2008/05/21

Comunidade Internacional da Treta

O Banco Mundial não vai ajudar as vítimas do ciclone Margis. Porque... a Birmânia deve dinheiro ao banco. Eis um caso paradigmático daquilo para que servem os Bancos. Não pagas? Morre!

Também a ONU parece não servir para grande coisa. Devido ao bloqueio da China, do Vietnam e, claro, da Rússia de Putin (há que não criar precedentes numa das regiões do mundo onde se têm cometido as maiores barbaridades), no Conselho de Segurança, a ONU não vai abrir corredores humanitários para chegar as vítimas. É genial! Entretanto as ONG's que estão no terreno queixam-se de serem perseguidas pelos militares... Não há uma potência que, unilateralmente, invada o país, mande a junta abaixo, a julgue em tribunal marcial por crimes contra a humanidade, e, sobretudo, salve os birmaneses?


E, de repente, apetece morrer

LUIZ PACHECO (1925-2008)

«e, de repente, apetece morrer. Apetece o grande sossego, imóbil e definitivo. Realmente dormir acabado. O silêncio. A solidão sem sobressaltos paisagens caras novas. A paz connosco. E sem espelho. Não ver ninguém, já mais ninguém. Esta esperança mais que certa seja acompanhada de cantos e alegria. Sem olhar para trás, para quem fica andando, inda ache graça. Os imprevisíveis lamentáveis acidentes da nossa viagem, mesmo os veniais, aqueles de que nos não demos conta na altura mas ficaram vibrando ocultos em nós como alarmes parasitas, clandestinos mas insistentes, uma térmita na aparência insignificante inofensiva embora voraz e teimosa, continuaram ressoando corroendo desfazendo lentamente uma qualquer fibra que nunca saberemos onde estava e era importante. Não se previa já? ou seria então o alvo determinado, a rota desde sempre planeada que muito nos espanta permanecesse assim mascarada doutros caminhos possíveis. A sabermos tudo antes, que chateza, que falta de iniciativa! morte prematura. Insisto, jogando no António Maria Lisboa: apetece descansar e deixar os outros descansar e descansados.» Maio 20, 2008 at 10:52 pm


JCM Diz:
Maio 20, 2008 at 11:16 pm

Julgo que Portugal está no bom caminho. Segundo o relatório citado “The level of inequality in Portugal is comparable to that observed in North America, which is thought to have the highest level of inequality in the developed world (see OECD, 2005)”.

Não só nos aproximámos do modelo (EUA) que toda a Europa quer copiar, como o alcançámos. Agora o esforço dos governos é para conseguirmos níveis de desigualdade do tipo do Brasil ou do Chile.

A ideia é conseguir mesmo, no virar da década, uma desigualdade de tipo africana.


Professora Diz:
Maio 20, 2008 at 11:41 pm

Acrescentem a este estudo, os dados de que ninguém ainda fala (não interessa nada, não é?) - os da emigração.

Desde o início deste ano lectivo, a minha turma tem menos 4 alunos. Três famílias já emigraram. A quarta vai em Julho.


JCM Diz:
Maio 20, 2008 at 11:47 pm

Cara Professora,

Isso não configura abandono escolar? Logo 4… A coisa está negra. Não deveria ter impedido as famílias de deixar a pátria amada e levar as crianças deste belo sistema educativo? Como é que as pessoas podem não gostar da escola da senhora ministra e do Valter? (comentários do educar.wordpress.com)

e-mail: criticademusicaATyahooPUNTOfr